Riscos que nos ameaçam PD50 - Page 78

O caminhonaço José de Souza Martins O caminhonaço que parou o país em maio e causou pre­juízos de bilhões de reais, tanto ao próprio governo quanto à econo- mia privada, é um desses episódios reveladores do que é a crise atual da sociedade brasileira. As revelações são várias, tanto dos seus níveis ocultos quanto dos seus níveis explícitos. Uma delas é a do vazio do poder. O Estado brasileiro passou por transformações profundas nas últimas décadas: na redemo- cratização de 1946, no golpe de 1964, no fim do regime militar em 1985 e com a Constituição de 1988. Progressivamente, a repre- sentação política popular foi sendo descaracterizada e esvaziada. Os partidos deixaram de representar ideias e doutrinas e decor- rentes projetos alternativos de nação. Passaram a representar grupos de interesses, secundarizaram os diferentes grupos de identidade e classes sociais que constituem a diversidade do que é propriamente o povo brasileiro. O vazio ganhou visibilidade e intensidade nos movimentos de rua de 2013, cujos atores levaram ao impedimento da presidente da República. Até então, o Partido dos Trabalhadores havia coop- tado os movimentos populares surgidos à margem do sistema partidário e lhes servira de mediação política. Permitiu-lhes atuar como sujeitos, ainda que adjetivos, da estrutura política do Estado. A partir de então ficou evidente que a margem vinha para o centro do processo político, escapava do controle do PT e esca- pava da própria política. Não obstante, uma pobre concepção binária da política cegou as esquerdas, sobretudo o próprio PT, para a nova realidade social e política do país, complexa, diversificada, povoada de sujeitos com nova cara, novas funções sociais e econômicas, novas moda- lidades de consciência, novas carências. Enquanto isso, políticos de carreira permaneceram agarrados ao poder e a uma visão de mundo atrasada em meio século ou mais. Fora o PT o único conglomerado partidário, com função de partido pós-moderno, que compreendeu a nova realidade do p :2VR6RFWfWRV&'FRVR7V&v旦:|:6:F6::6s`