Riscos que nos ameaçam PD50 - Page 32

Produto de exportação Eliane Cantanhêde N a missa para Marisa Letícia, que virou comício para Lula, no dia 7 de abril [p.p.] (um sábado), o ex-presidente usou de toda a emoção e de todo vigor retórico para clamar que seu grande crime foi dar comida, escola e universidade para pobre. Porém, assim como o impeachment de Dilma Rousseff foi pelas pedaladas, mas não só por elas, a prisão de Lula foi pelo triplex no Guarujá, mas não só por ele. Tanto as pedaladas como o triplex estão inseri- dos num contexto muito mais amplo, são peças de um todo. O que as investigações desvendaram, e as fotos no triplex confirmam, é a íntima relação de Lula não apenas com uma empreiteira, a OAS de Léo Pinheiro, mas com as grandes emprei- teiras, conhecidas compradoras de políticos. No topo, a Odebrecht. Os depoimentos de Emílio e Marcelo Odebrecht sobre as contas secretas mantidas para o ex-presidente e geridas por Antonio Palocci, antes e depois da Fazenda, são uma aula de como Lula foi afundando nos braços pródigos, mas gulosos, das empreiteiras. E foi nessa simbiose entre Lula e elas que o Brasil virou um exportador de corrupção para América Latina, Caribe, África e Europa. Começou na Venezuela, de Hugo Chávez, e se expandiu para Peru, Colômbia, Equador, Angola..., com régios financia- mentos do nosso BNDES e uma cereja do bolo: os marqueteiros de Lula incluídos no pacote. Para Fernando Gabeira, há uma estratégia nas investidas do triângulo Lula-Odebrecht-BNDES em tantos países: a mistifica- ção de Lula, sua transformação em líder mundial de massas. Mas o revertério pega de jeito não só ele, mas também os aliados que entraram no esquema internacional. Ou seria pura coincidência que Lula esteja às voltas com a Justiça ao mesmo tempo que outros ex-presidentes, como o do Peru? Lula desceu a rampa do Planalto com 80% de popularidade e ficou ainda mais à vontade nas suas relações com as empreitei- ras, mantendo o controle do BNDES com Dilma na Presidência e viajando pelo mundo, nos aviões da Odebrecht. 30