Riscos que nos ameaçam PD50 - Page 42

Declínio democrático e polarização política Elimar Pinheiro do Nascimento N os anos 1970 e até início dos 1980, o mundo deslanchou em direção à democracia. Ditaduras em todo o mundo, como em Portugal, Espanha, Grécia, Brasil, Argentina, Bolívia, entre tantos outros, ruíram, e deram lugar a regimes democráti- cos. E esta ascensão permaneceu até começos deste século. Em 2011, segundo o Economist Intelligence Unit Democracy Index, entre 167 países, havia no mundo 20 países plenamente democráticos e 59 classificados como democracias imperfeitas. O Brasil foi classificado nesta categoria, evidentemente. Aliás, na primeira categoria havia apenas o Uruguai, na América Latina, e nenhum país africano ou asiático. O estudo usa cinco critérios para avaliar a qualidade das democracias: processo eleitoral (nível de justiça, liberdade e pluralidade das eleições); funcionamento do governo (honestidade e eficácia com questões financeiras); cultura política (participação política dos cidadãos e apoio ao governo) e liberdades civis (liberdade de expressão e de imprensa). E avalia os países em quatro categorias: democracia plena, demo- cracia imperfeita, regimes híbridos e regimes autoritários. Nestes itens estamos lá em cima no processo eleitoral (9,58, sobre 10) e nas liberdades civis (8, 24). Somos reprovados em cultura política (5) e funcionamento do governo (5,36). Se o movimento de ascensão à democracia iniciou-se nos anos 1980, sua estagnação ocorre a partir de 2011, pois a segunda década do século XXI assiste a uma queda no índice democrático mundial. Entre 2016 e 2017, por exemplo, 89 países apresentaram queda no índice democrático, Brasil inclusive, que caiu do 47º lugar para o 49º. De toda forma, em 2017 a maior parte da popu- lação mundial vivia em países democráticos (50,3%), distribuídos em 76 países. Contudo, eles já foram 79, em 2011. Segundo a Freedom House, um centro de estudos nos Estados Unidos dedicado à análise da liberdade no mundo, 2013 foi o oitavo ano seguido em que a liberdade global declinou. Economist atribui o declínio da democracia no mundo a dois fatores: a crise econômica internacional e a ascensão da China. No primeiro caso, 40