Riscos que nos ameaçam PD50 - Page 41

bilhões, em maio de 2016; e na semana anterior à greve, em maio de 2018, o valor era de R$ 370 bilhões. O governo não soube combi- nar a competência gerencial com a oportunidade social; associar o respeito à aritmética com a sensibilidade social; como ter uma Petrobras eficiente e, ao mesmo tempo, uma população satisfeita; nem a população satisfeita com a Petrobras destruída, nem a Petro- bras eficiente com a população descontente. A pedagogia da catástrofe pode funcionar, mas somente se aprendemos com ela. É preciso agir. No curto prazo: 1. Respeitar a eficiência da Petrobras. 2. Criar um amortecedor para evitar que os reajustes forçados pelo aumento do preço do petróleo e a valorização cambial do dólar penalizem o consumidor. 3. Financiar este amortecedor, por prazo determinado, com subsídios, sem provocar déficits fiscais. 4. Levar adiante a disputa política para definir quais setores serão sacrificados com o propósito de beneficiar o consumidor de combustível; sabendo que agora não é mais tempo de reivindicar mais recursos sem tocar nos demais gastos, porém de lutar por mais recursos em oposição a outros setores. 5. Revigorar o Proálcool e a produção de carros elétricos. 6. Eliminar os gastos com privilégios no serviço público, espe- cialmente nos Poderes Legislativo e Judiciário, sobretudo pelo impacto moral e pela credibilidade que o fim deles trará ao exer- cício da função pública. No longo prazo: 1. Iniciar uma política ferroviária, hidroviária e de cabotagem, para o transporte entre cidad