Riscos que nos ameaçam PD50 - Page 33

Por trás da desgraça da nossa Petrobras estão as grandes empreiteiras e seus controladores, agora presos. E, por trás dos processos contra Lula, estão as mesmas empreiteiras e seus contro- ladores: o do triplex, o do sítio de Atibaia, o do Instituto Lula... logo, há profunda conexão entre Lula e elas, uma clara relação de causa e efeito, um jogo em que todos ganhavam. E, como ganhavam, agora perdem juntos. Ou vão para a cadeia juntos. No seu discurso do dia 7 de abril, Lula se colocou como um novo “pai dos pobres”, a eterna “vítima das elites”, mas, se os ganhos sociais são inegáveis, quem mais lucrou na sua era foram o sistema financeiro e as empreiteiras, enquanto estatais, bancos públicos e fundos de pensão eram devorados. E ele atiçou a mili- tância contra Moro e a mídia, jogando álcool na fogueira e isolando ainda mais o PT e as esquerdas. A baixa adesão à manifestação pró-Lula num dia histórico, e no berço do PT, já diz tudo. Quanto à Dilma: ela efetivamente cometeu crime de responsa- bilidade com as pedaladas, além de governar com a velha e peri- gosa avaliação de que “um pouco de inflação não faz mal a ninguém” e gastar desbragadamente é “bom para o povo” (que, obviamente, é quem depois paga a conta com juros e lágrimas). E vivia de canetadas: na quebra de contratos no setor elétrico, na exploração do pré-sal, na queda artificial dos juros. Enfim, Dilma caiu porque o Brasil não aguentaria mais dois anos dela, assim como Lula foi preso por ambição, cobiça e uma promiscuidade com empreiteiras (para ficar só nelas) incompatí- vel com a Presidência da República e com a sua emocionante biografia e seu vibrante carisma. Foi, além de tudo, uma traição à origem do PT, que nasceu para lutar por um país mais justo e mais ético – não para Lula chegar ao pódio e dali mergulhar alegremente nos tentáculos da Odebrecht e da OAS e nadar de braçada nas piores práticas do velho Brasil. O mundo não acabou Foi só impressão ou o mundo não acabou, não houve comoção nacional e não explodiram manifestações de rua no sábado (dia 7 de abril) e no domingo (dia 8) contra a prisão de Luiz Inácio Lula da Silva, ex-presidente e o maior líder popular do Brasil desde o fim da ditadura militar? Produto de exportação 31