Riscos que nos ameaçam PD50 - Page 31

motivos políticos responsáveis por sua adoção. No mínimo ressalta sua superioridade face a demagogias faxineiras que alimentam ilusórias agendas de fundação de uma nova ordem ideal, alheia à materialidade do mundo e das pessoas que nele vivem. Penso que este é um terreno possível de afirmação de um reformismo democrático, em contraponto a narrativas distópicas sobre o presente e a conjecturas utópicas sobre o futuro. Em vez de repudiar o mundo que temos, em nome de um novo mundo – por suposto, possível – ter como agenda a reforma deste mundo que, afinal, não só temos, como constituímos, em suas/nossas virtudes e vícios. Agenda assim não se faz com os verbos resistir ou fundar. Impõe conjugar, no cotidiano mutante da democracia política, os verbos prosseguir e persistir. Sem Marielle Franco presente, mas tendo sua companhia. Poderemos senti-la na materialidade dos problemas que em vida ela tentou, ao seu modo, ajudar a resolver a partir de ideias em que acreditava e de circunstâncias da sua atividade política. Segurança pública e política: sem Marielle, mas com franqueza 29