Riscos que nos ameaçam PD50 - Page 167

No final da década de 1980 se tornou notório que as comuni- dades evangélicas podiam desempenhar um papel protagonista nas contendas eleitorais. No caso da Colômbia, que coincide com a de outros países da região, a entrada dos evangélicos na arena eleitoral se explica fundamentalmente por três fatores. O primeiro deles foi o rápido crescimento deste movimento religioso em número de fiéis, que fez do voto evangélico um voto desejável para todos aqueles que aspiram a cargos de eleição popular. O segundo elemento consistiu em uma mudança na doutrina evangélica que permitiu aos líderes deste movimento religioso dessatanizar a política e legitimar sua atividade eleitoral. O terceiro fator foi a flexibilização dos marcos jurídicos para facilitar a participação de novos partidos na arena eleitoral. Na Colômbia, esta flexibilização esteve relacionada com a instalação da Assembleia Nacional Constituinte em 1991. Que sucede hoje na relação entre os setores evangélicos e as demandas sociais pela ampliação de direitos sexuais? Qual foi a reação dos grupos evangélicos vinculados ao poder frente à nova onda de lutas feministas que tem lugar no continente? O movimento evangélico é antifeminista. Considera que, na ordem estabelecida por Deus, o homem está chamado a ser o líder natural tanto na família como nos diversos cargos de poder (embora, paradoxalmente no seio do movimento evangélico muitas mulheres se empoderam e conseguem ascender a cargos de lide- rança). Por outro lado, o movimento evangélico se opõe ao reconhe- cimento dos direitos da comunidade LGBTI. Considera, inclusive, que a promoção destes dire ]]]\Hܘ[X\YX]]š[\XH[H\\HHYYYN\۝0Y[HB'[^X[^p'H\ݘ\\pY\ˈ\Hp[YKB[H0[\Z]\Z[ܚX\^XZ\H[ۘBHHH]\\pۜ\Yܙ\HYYYH]YK[0[B][[X[ZHH[\]ܙ\[]X\[˂]\YZ[H][Xp[H[Y\H\™H[X[H[H][[\[H]ܙ\ۜ\Yܙ\ˈ^\B[Kܰ[KYܙZ\][[X\XZ\Y[Hܙ\\[‘[HXH^\[Y[K0H]\[[YY\B\[XpHH0]XO‘]Y[[Y[H^\[H]ܙ\ܙ\\\[[ݚKBY[][[XˈH]HY\[X\\H[ݚ[Y[][[X™ܝ\]YHH]][Z[HH8'\[\[\0ܚX'K][[XHH0]X[H[p\XH][BM