Riscos que nos ameaçam PD50 - Page 16

Partido dos Trabalhadores volta às suas origens, tratando as instituições vigentes e ordens judiciais sob uma lógica de assem- bleia de sindicato, como nos velhos tempos de São Bernardo do Campo, resultando no isolamento que escancara seu próprio ocaso, enquanto força política expressiva na vida nacional. Não estamos mais falando de um país dividido. Reconheço a importância histórica da prisão de Lula diante de um Brasil tão estarrecido quanto esperançoso por respostas. Tudo indica que o próximo passo deve ser a aceleração das apurações, nos diver- sos processos e inquéritos em que estão atolados o ex-presidente e seu entorno, especialmente as lideranças de outras agremia- ções partidárias. Avançam a aprovação de mudanças na legislação penal e o fim do foro privilegiado, tal como existe hoje, por pressão da socie- dade e iniciativas do Supremo Tribunal Federal, que já produzi- ram projetos em tramitação no Congresso (PECs). Paradoxalmente, o impacto deste fato histórico no cenário político e nos sentimentos de toda a população brasileira – emana- dos dos perfis das plataformas digitais em tempos de profundas transformações –, nos mostram novos caminhos. Não se passa um país a limpo sem que se coloque o dedo na ferida. O Brasil depende fundamentalmente disto para o seu desenvolvimento em todos os aspectos. Apesar de tudo, não esta- mos órfãos e, pelo menos, não vimos desabar nossas aspirações pela busca de um futuro melhor. Tudo isso me faz pensar na temática da identidade nacional. Sobre este tema, cujas pesquisas têm sido cada vez mais recor- rentes nos meios acadêmicos nacionais e internacionais, vale trazer da memória a atualidade do grande escritor Mário de Andrade. O autor do romance Macunaíma aposta numa ideia de Brasil como unidade composta de diversidades, levando em consi- deração a contribuição de diversos setores da sociedade. Surge a necessidade pungente da volta de uma inteligência nacional, expressa em um projeto que reagrupe em seu seio diver- sas correntes conexas e que se torne o agente de progresso social que a sociedade brasileira tanto reclama. Conclui-se que este momento é emblemático: trata-se de uma oportunidade excepcional para a emancipação e, porque não dizer, para o resgate da vida, da alegria e da vontade de mudar as 14 Roberto Freire