Riscos que nos ameaçam PD50 - Page 15

Vamos falar do hoje e do amanhã Roberto Freire A sociedade brasileira se depara com momentos intensos, dramáticos e conturbados. Após a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado na Lava-Jato, não está em jogo somente o destino de um político ou de um partido. É o que quer fazer crer parte da militância lulopetista com sua narrativa de que há uma motivação política para excluir Lula do processo eleitoral. Assim, o lulopetismo tenta salvar a todo custo e de todas as formas – com as poucas armas que lhe restam, como a espetacu- larização midiática –, uma esquerda descompromissada com a democracia e sem real interesse em promover reformas no Brasil. O que vem sendo chamado de política identitária é a identificação pessoal com um candidato, como um valor mais importante do que suas propostas, programas e coerência. Isto resume o autoritarismo político e a obsessão do lulope- tismo em vulnerabilizar, com um discurso coletivo, os indivíduos que, confusos, buscam um salvador para lhes devolver a confiança perdida. O lulopetismo se apropriou das premissas da defesa do progresso da humanidade, dos direitos humanos e da libertação dos grilhões da pobreza, para reduzir a luta por um mundo mais justo à defesa de um indivíduo apenas. A transferência simbólica da sede do PT para Curitiba concre- tiza, enfim e literalmente, a morte anunciada: o PT está agora encarcerado em Curitiba com o seu maior líder. Sem opções, o 13