Riscos que nos ameaçam PD50 - Page 12

estrutura institucional de poderes, em que o Executivo domina a tudo e a todos, particularmente o Legislativo, e se mantém, de cima para baixo, fazendo uso quase que perfeito de todo um esquema de controle da máquina estatal e dos recursos financei- ros de que pode dispor, numa utilização do dinheiro público sob formas corruptas, acima de qualquer limite. Sem esquecer o que ocorre no Supremo Tribunal Federal, que vem procurando aparecer mais do que os demais poderes, sobretudo adotando resoluções coletivas, de Turma e individuais, que atropelam o seu importantíssimo e exclusivo papel de fazer com que a Constitui- ção seja cumprida pelos poderes e cidadãos da República. Outro dos nossos problemas mais graves, nos dias correntes, é que não há clareza nem perspectiva sobre o nosso futuro imediato, sobretudo no tocante aos riscos que nos ameaçam e como evitá-los ou enfrentá-los, particularmente diante da indeterminação de um quadro eleitoral cujos rumos são mais que indefinidos. Para a Presidência da República, há mais de vinte candidatos, e outros mais poderão surgir, e as articulações entre os partidos ainda se revelam muito débeis, sem falar que não se conhece que ideias e propostas existem na cabeça dos que pretendem chegar ao Palácio do Planalto nem das organizações partidárias de que fazem parte, e muito menos que mudanças podem ocorrer na composição da Câmara Federal (hoje inteiramente dominada pelos que pensam em si e seus esquemas e pouco afeitos às exigências de iniciarmos a construção de um novo país). Um elemento positivo a destacar é que pessoas honradas e qualificadas que antes evitavam a política, criaram e estão atuando em movimentos cívicos como Agora!, RenovaBr, Livres, Acredito, Brasil 21, RenovaBr, Rede de Ação Política pela Susten- tabilidade (Raps), Frente pela Renovação, Vem pra Rua, Roda Democrática, dentre outros. Desta forma, o envolvimento com a política transformou-se em uma decisão crescente para homens e mulheres, que pretendem colaborar para darmos passos que nos levem a encontrar novos caminhos para o nosso Brasil. Todas estas questões, e muitas outras, são motivo de análise por parte dos nossos colaboradores nesta rica edição, a de nº 50, e já no 18º aniversário do advento e presença permanente da nossa revista na vida política e cultural do país. Boa leitura! Os Editores