Revista SindespRJ REVISTA PRONTA PARA IMPRESSÃO.pmd - Page 8

ENTREVISTA Adriano Bernardo Superintendente Regional do Trabalho e Emprego do Rio de Janeiro A LEI POR PRINCÍPIO E A MEDIAÇÃO POR BASE Há apenas cinco meses exercendo o cargo de Superintendente Regional do Trabalho e Emprego do Rio de Janeiro, Adriano Bernardo vem se destacando não só pelo empenho e habilidade demonstrados em solucionar por meio do diálogo problemas aparentemente complexos na relação entre empresas e trabalhadores, mas também pela educação e amabilidade com que recebe a todos que o procuram. T otalmente voltado às questões que en- volvem a relação Trabalho x Capital, o jovem e atuante advogado e administrador Adriano Bernardo tem usado toda a experi- ência acumulada ao longo de sua vida pro- fissional para desempenhar com eficiência a função de Superintendente Regional do Trabalho e Emprego do Rio, o que vem dan- do excelentes resultados. - Aprendi com a experiência e como ad- vogado e administrador que o diálogo é sempre o melhor caminho para solucionar conflitos, sejam eles de que tamanho e na- tureza forem. É o trabalho que muda as pes- soas e o mundo, não a guerra, a intolerân- cia. Sendo assim, busco fazer uma gestão onde, sempre que possível, a mediação se sobreponha aos conflitos e às próprias pe- nalidades. Adriano explica que, ao contrário do que muitos pensam, o objetivo da Superinten- dência Regional do Trabalho e Emprego não é multar as empresas, mas, sim, zelar pelo cumprimento das normas estabelecidas e solucionar os problemas de maneira que as duas partes saiam ganhando. 8 REVISTA SEGURANÇA PRIVADA - As penalidades são rigorosas e na mai- oria das vezes gerar um auto de infração só vai prejudicar ambas as partes: a empresa, que pode até fechar as portas em razão des- se ônus, e o trabalhador, que vai, em consequência, perder seu emprego. O Superintendente Regional do Traba- lho do Rio explica que, diante dos conflitos, ele busca fazer a mediação entre as partes no lapso de tempo decorrente entre a notifi- cação e o auto de infração, ou seja, no pra- zo para cumprimento das exigências deri- vadas das irregularidades apuradas. - O trabalhador precisa do emprego e a empresa precisa produzir. O importante, por- tanto, é que a empresa regularize a situa- ção, cumpra com suas obrigações junto ao trabalhador e ao Estado, instalando-se, as- sim, um ambiente positivo para todos. Para Adriano Bernardo, o momento críti- co que vive o Estado do Rio de Janeiro, com a falta de dinheiro e de segurança, está afe- tando diretamente o mercado de trabalho. - Muitas empresas estão saindo do Rio por causa da violência e instabilidade eco- nômica. Isso gera desemprego, problemas sociais, causa desequilíbrio econômico-so- cial e sobrecarrega outros setores como a própria Segurança Privada com o aumento da demanda por esses serviços que, é bom que se diga, embora seja uma importante força auxiliar da Segurança Pública, tem atu- ação limitada e não tem poder de polícia. Mas, apesar de todas as dificuldades que o Estado do Rio de Janeiro, em particular, e o Brasil, de um modo geral, estão atraves- sando, Adriano Bernardo está otimista com relação ao futuro. Ele acredita que a partir do ano que vem, o cenário começará a me- lhorar e o Brasil entrará num processo de crescimento de médio porte. - Os ânimos estão muito exaltados em razão do momento político conturbado que estamos atravessando. Viemos de um impeachment de uma presidente da Repú- blica com todos os traumas e consequências que um processo como este acarreta, afora o caos econômico que o governo anterior deixou. Contudo, mesmo assim, estamos conseguindo avançar. Saímos de uma forte recessão, os indicadores econômicos apon- tam melhora na retomada do emprego e do