Revista PrisMagazine Número 003 Ano I - novembro 2015 - Page 36

36 POR TRÁS DAS LENTES Por Nina Waldow Meu nome é Aline Waldow Marcos, também conhecida por Nina Waldow. Sou casada com o Jadson, moramos em Curi ba/PR, tenho 34 anos, sou formada em Educação Física e de 3 anos e meio pra cá venho estudando sobre uma paixão que sempre ve, a fotografia. Minha história com a Orientação começou bem antes de eu ouvir falar a respeito deste esporte. Pra isso preciso voltar para junho de 2012, quando em uma par da de futebol, rompi o ligamento do joelho, o que me forçou a entrar na faca pra reconstruí-lo. Foi um período bastante doloroso e di cil porque eu sempre gostei de esporte e sempre fui muito elétrica. Nessa mesma época, com o joelho podre do jeito que estava, me matriculei num curso de fotografia, que sempre foi um dos meus desejos. Fiz a cirurgia em Setembro/12 e fiquei 8 meses sem poder fazer qualquer po de a vidade sica, a não ser o que a fisioterapeuta passava nas sessões diárias que fui obrigada a fazer. No final de Maio/13 pude recomeçar a pra car esporte, mas pra isso ve que voltar pra academia pra fortalecer a musculatura da perna operada. Na academia que me matriculei, através da professora (Evelyn Sereneski), conheci a orientação. Ela falou a respeito deste esporte que pra cava e fiquei encantada pela forma com que descrevia a orientação. Foi então que ela me mostrou uns mapas das corridas que havia feito e a çou mais ainda minha curiosidade em fazer uma das corridas. Depois da primeira corrida não larguei mais. Tá, mas o que tem a fotografia com isso? Tem tudo a ver! Levei minha câmera numa das etapas pra treinar sobre a teoria que aprendia nos cursos que estava fazendo. Foi então que ve a oportunidade de fazer a cobertura dos eventos aqui do Paraná tendo minhas fotos publicadas na fanpage da FPO (Federação Paranaense de Orientação). A minha paixão e visão sobre o esporte e a oportunidade de pra car a orientação me ensinou e me ensina a buscar o movimento e a ter um olhar de atleta fotógrafa, e através dos "cliques" transmi r em imagens um pouquinho da vida de cada um, congelando na fotografia, um momento único e pessoal daqueles que fotografo. Amo fotografar as corridas. Amo esporte. Sou apaixonada pela orientação. Hoje posso dar graças a Deus por ter permi do que eu rompesse o ligamento do joelho (na época fiquei furiosa porque não ia poder mais jogar bola), pois através desse fato eu vim a conhecer esse esporte por quem sou tremendamente apaixonada. Minha vontade hoje é con nuar divulgando a orientação através das imagens e ver esse esporte ser divulgado com maior intensidade pra que mais pessoas venham a pra cá-lo. Você pode não me ver nas corridas, mas tenha certeza que eu vejo você, e na sua naturalidade tento captar o seu momento. Con nue a correr... e lá eu também vou estar, clicando.