Revista Crea-SP | nº 01 - Page 14

ECONOMIA DOMÉSTICA Respirar para não gastar... E AGRADECER! Mais um Ano Novo começando cheio de oportunidades... Contudo, temos de convir que estamos vivendo uma época bem tumultuada, não? As notícias assombrando nossos lares, anunciando a malfadada crise... Ou seja, mais uma vez todo mundo falando em crises... Mas o que é crise? Falta de dinheiro? Copo vazio? “Não gosto de ver o copo vazio... Prefiro quase cheio”. É uma escolha: trevas ou luz? Dizem que são faces da mesma moeda, não é isso? Assim, se por um lado os juros altos são utilizados para conter a inflação, também podem acabar beneficiando quem poupa. Por isso, é um momento de muita respiração e contenção... É difícil nessas épocas de festas “respirar” para não gastar. Entrada do 13º, festa aqui, confraternização acolá... Só começamos a sentir realmente o problema em janeiro, quando todas as contas começam a chegar e não há mais o 13º para ajudar... É engraçado, pois, às vezes, não percebemos que as mudanças na economia nos atingem. Sempre achamos que a perda de renda só afeta os outros, mas o fato é que pode nos afetar de verdade. A classe média é a mais atingida, pois os preços dos serviços sobem mais que os dos produtos básicos. A renda nunca está na mesma proporção. Por isso, é importante ficar atento às finanças. Controlar a relação “quanto ganho/ quanto guardo” e também verificar quantas parcelas ainda temos de pagar, quanto gastamos mensalmente com itens fixos e eventuais, etc. Quando passamos a analisar os gastos de maneira crítica, analisando nosso modo de vida e aquilo que nos faz feliz, conseguimos enxergar estratégias de poupar de maneira menos dolorida. Trate-se com carinho. Siga sua direção e seja grato. Comece analisando os extratos de meses anteriores, encaixando as despesas em três categorias: essenciais, superficiais e futuras. Há alguns aplicativos que podem ajudar no controle diário das finanças; porém, cuidado para não ficar muito rígido e se parecer com dieta... Toda segunda-feira é aquele martírio... Escolha algo que combine com seu estilo de vida, mas não deixe de fazer ao menos uma vez por mês. Outra coisa importante: não adianta pensar em economizar se ainda está devendo dinheiro. Juros de cartões de crédito e cheque especial são sempre muito maiores do que qualquer investimento. Por isso, a regra é evitar o vermelho. E ainda: não adianta poupar sem propósito: isso é cognitivo. Para resistir às tentações é preciso saber o motivo de estar protelando o gasto. Não adianta também querer a lua. É preciso priorizar. Um objetivo por vez. Casamento, intercâmbio, filhos, casa própria, aposentadoria... Cada um desses objetivos exige uma preparação e uma economia diferente. É importante também ter um fundo para emergências. No meu caso, costumo pagar primeiramente o IPMM: Imposto Para Mim Mesma. Caso aconteça algo, cada um dos meus filhos terá a vida garantida. Outra coisa: tenho de mencionar aqui alguns grandes gatilhos importantes para mim: 2024, 2029 e 2034. Datas chaves para grandes mudanças financeiras. São investimentos que faço ao longo da minha vida. Se alguém acredita que morrerei cedo, espere sentado! Ou seja, o segredo é escrever... As ideias devem sair da mente e tomar forma. Ter um diário é uma solução para muita gente. Escrever onde estaremos funciona como uma projeção e deve ser feito com a maior precisão possível. Tudo o que temos é fruto do que pensamos. Tudo o que nos acontece também. E, para finalizar, vão aqui algumas dicas quanto à nossa satisfação 14 | creaspemrevista