Revista 40 Revista40_final slide - Page 10

gente da gente gente da gente Para se inspirar! Para muitos, entrar na terceira idade é sinal de desa- celerar, viver uma vida mais calma. Para outros, há o medo da velhice, da solidão e o sentimento de se sen- tir menos competente para realizar algumas atividades. Mas para a D. Maria José, 80 anos, sócia do Olympico há mais de 30 anos, foi o pontapé para escrever um novo capítulo de uma linda história. Vizinha do Clube, viveu boa parte da vida dedicando seu tempo, integralmente, à família. Em 1993, com 55 anos, aprendeu a nadar nas piscinas do Tricolor da Serra por influência de um professor de seu filho que, na época, era aluno das escolinhas. Nascia, ali, uma atleta Sênior: “Foi muito engraçado, eu tinha medo de água. Um professor, que não era o de Natação, propôs que as mães aprendessem a nadar. Como sempre gos- tei de desafios, topei”, relembra Maria. Aula de Natação no Olympico Vinte e cinco anos após as primeiras braçadas, ela nada fielmente três vezes por semana. Faça chuva, faça Sol. Não tem essa de preguiça, lamentação! Cardiopa- ta, com prótese de titânio no joelho, ela acredita que os obstáculos servem para ser vencidos: “Os problemas da vida servem para me impulsionar. Convivo com meus limites, sem deixar que eles me atrapalhem”. Nossa musa inspiradora realiza outras atividades. Há 20 anos, faz parte do grupo APOSVALE - Associação dos Aposentados, Pensionistas e Empregados das Empresas Patrocinadoras da VALIA. No grupo, ela co- nheceu o teatro, tornou-se atriz Sênior e carrega um histórico brilhante, com mais de 15 espetáculos ence- nados. “A idade veio para me transformar. Sou atriz, cantora e atleta amadora. Canto desde os 13 anos, o teatro veio para levar minha timidez embora”, revelou a sócia. Conhecendo uma parte da história, podemos ques- tionar se Maria José busca somente a longevidade ou uma qualidade de vida que permita aproveitar a ida- de avançada da melhor maneira possível. Afinal, todo mundo quer viver mais, mas ninguém quer se tornar um idoso improdutivo. Então, ela responde de forma simples e objetiva: “Sempre procuro colorir a minha vida. Quero ser colorida até a natureza me levar”. Com a inspiração de que nossa história não tem idade para começar, hoje, escrevemos mais uma página, a da Maria José que é Gente da Gente. Fotos: Arquivo Pessoal Maria José 10