PODERES EM REVISTA 4ª edição - Page 44

A VIDA ALÉM DO DIREITO i mergulho O outras práticas esportivas. Lá esteve ela descobrindo o rappel, a tirolesa ou belas paisagens nas trilhas. Mas por pouco tempo. “Depois que meus filhos nasceram, resolvi que não podia mais aventurar-me com tanta intensidade e resolvi ficar só na água”, conta ela, que, antes de assumir a magistratura, era promotora do Ministério Público da Bahia. O marido Marcelo, que conheceu as maravilhas submersas graças à esposa, contribuiu para a escolha. Hoje, dividem as mesmas emoções pelos sete mares. enigmático e curioso mundo marinho fascinou a juíza federal sergipana Lidiane Vieira de Meneses, que, aos 18 anos de idade, submergiu nas águas marinhas em busca de mais aventura. O convite para mergulhar veio dos primos aventureiros, Virgilio e Roberto, que estavam com viagem marcada para Fernando de Noronha. No arquipélago, aconteceu o batismo. Do navio, não resistiu ao chamamento das águas cristalinas. Resolveu conhecer os mistérios do fundo do mar. “Meus primos tinham equipamento, mas eu fiquei mantha-ray: surpresa em Bora Bora iStockphoto beleza da fauna e flora marinhas iStockphoto espetáculo: em apneia, imaginando como devia ser fantástico o mundo submarino, sem pressa. Cheguei a ver um polvo e fiquei encantada.”, lembra. Apneia é a modalidade na qual o mergulhador não usa o material apropriado para a respiração subaquática. Após a primeira experiência, aquela que a gente nunca esquece, Lidiane voltou a Sergipe decidida a entrar em um curso. E assim o fez. Na escola Amigos do Mar, em Aracaju, tirou o cerificado Open Water, uma espécie de autorização para ‘viagens’ mais próximas da superfície. Amante da natureza, a juíza também experimentou 44 I Poderes em Revista Mas a aventura começa em casa, em frente ao computador. A ferramenta Google Earth é o ponto de partida. “A gente procura um local onde o mar está bem azul, aproxima a imagem e descobre um lugar lindo. Pronto, o local da próxima viagem está escolhido”, conta. As atividades na 4ª Vara do Tribunal Regional Federal da 5ª Região, Seção Judiciária de Sergipe, impedem que Lidiane pratique o esporte como gostaria. Mas há espaços nas agendas exclusivamente reservados para a paixão do mergulho. Além de Noronha, o casal conhece outros destinos paradisíacos, tudo em nome da vida no fundo