Pathos: revista brasileira de práticas públicas e psicopatologia 8º Volume - Page 40

Exercer o trabalho de professor sob a mira desta proposta autoritária, inibidora e coercitiva, é sucumbir a relação professor-aluno, é eliminar a construção necessária da confiança e do respeito entre estes agentes. A educação se dá em ato, se dá nas ações, no fazer. Não se educa para a vida, o ato de educar é a própria vida. Não se educa para o futuro, se educa para o agora. A relação não se aprende nos livros, se aprende vivendo, em ato, em ação. Educa-se para o pensar autônomo e para a capacidade de sair de si mesmo. Os alunos não estão presos entre os muros da escola, eles convivem socialmente em outras relações e espaços sociais. Capacitá-los a pensar é capacitá-los a serem livres, é instrumentalizá-los para combater as desigualdades. É contra essa capacitação que milita o Escola Sem Partido.

Como abster-se da relação no processo ensino-aprendizagem? Como dizer aos professores para limitarem-se apenas e somente a transmitir o que está nos livros? Seria preciso fingir não ouvir uma aluna de 8 anos dizer, enquanto brinca e aprende matemática, que está preocupada com sua mãe porque, ao sair para ir à escola, a deixou brigando com seu pai, que já a agrediu diversas vezes, numa delas quase a matou. Como deveria agir ao ser preciso convocar o responsável de outra aluna, também de 8 anos, para que tivesse cuidados com sua higiene pessoal porque estava sendo motivo de zombarias e nenhum colega queria sentar-se junto a ela ou brincar e a criança vinha queixar-se, aos prantos? Como abster-se perante a aluna de 9 anos que relatou ter apanhado de sua irmã de 15 anos, sendo arrastada pelo chão e tendo que fugir correndo, gritando por socorro, toda mijada e descabelada de medo? Irmã esta, que acabara de dar a luz e que também precisava de cuidados.

Segundo o que prega o Escola Sem Partido, a função do professor não é desenvolver o pensamento crítico. Sendo assim, questiono como deveria proceder ao ser procurada por uma aluna de 11 anos que, chorando, disse temer que sua irmã fizesse alguma coisa ruim com sua mãe? Esta aluna relatou ter ouvido do pastor durante um culto, que quem usa drogas agride os familiares.

PATHOS / V. 08, n.01, 2019 39

Σ

Saúde

Encontro

Equidade

Disponibilidade

Proteção

Cultura de paz

Luta

coletivo

Justiça

Empatia