Pathos: revista brasileira de práticas públicas e psicopatologia 8º Volume - Page 33

PATHOS / V. 08, n.01, 2019 32

Σ

Enfrentamento

Esperança

resistência

Amor

Felicidade

Acesso

Educação

Diversidade

Liberdade

Para além dos Ministérios, políticas públicas têm sido aviltadas em prol de um conservadorismo e pela falsa moral. Como exemplo, citamos os ataques as discussões de gênero na educação, a pressão pela implementação do projeto de uma “cura gay”, a relativização da violência doméstica, da LGBTfobia e do lugar da mulher na sociedade. Com isso, corremos o risco de uma nova Santa Inquisição, reatualizada por alguns seguimentos do protestantismo cristão brasileiro.

O Estado laico, tão necessário para respeitar a pluralidade da cultura brasileira, está ameaçado. Os inquisidores modernos ameaçam levar às fogueiras as bruxas de hoje. As religiões de matrizes africanas, bem como as advindas das tradições indígenas, são as que mais podem sofrer com o desmonte de um Estado laico, justamente por destoarem do modelo judaico-cristão, restando-lhes apenas espaços marginais de expressão.

Para além do processo de doutrinação/perseguição, há um empuxo dessa bancada para projetos de controle das expressões da sexualidade, principalmente no que se refere a sexualidade feminina. Citamos, como exemplo, o posicionamento da ministra indicada pelo governo eleito para o Ministério das Mulheres, Família e Direitos Humanos, Damaris Alves, a qual se posicionou contrária a descriminalização do aborto6 e teceu considerações acerca do papel da mulher na sociedade ao dizer que “a mulher nasceu para ser mãe”7 . Damaris hasteia a bandeira, entre outras, de defesa da família. Mas pergunto, de qual família ela se refere? Provavelmente o modelo da família Doriana, excomungando as demais organizações familiares.

Certa vez, desenvolvendo um trabalho em grupo com famílias do Parque Taipas, comunidade da Zona Norte da cidade de São Paulo, discutimos sobre o conceito de família, pensando nos novos arranjos que se apresentam. Chegamos a um consenso quanto a definição: família são aqueles que podemos contar. Essa definição implica em cumplicidade, parceria e respeito, e leva em conta que os padrões convencionais podem não representar uma parcela significativa de famílias, formadas por mãe(s) e filho(s), pai(s) e filho(s), avó(s) e neta(s), tia(o) e sobrinha(o), etc.