Pathos: revista brasileira de práticas públicas e psicopatologia 5º Volume - Page 67

INTRODUÇÃO

Atualmente, a forma com que os relacionamentos se desenvolvem tem sido bastante discutida por diferentes razões e pessoas diversas, talvez pelo fato de trazer a representação de uma transformação de gerações. Neste artigo, pretendemos analisar, a partir da ótica psicanalítica, o quanto a utilização de aplicativos de relacionamentos pode ser influenciadora nas mudanças sucedidas. Pretendemos construir uma visão mais ampla e reflexiva sobre o desenvolvimento dos relacionamentos nos tempos atuais, analisar a influência dos aplicativos para relacionamentos na construção das relações afetivas e levantar os principais motivos que levam as pessoas a utilizar o mundo virtual para conhecer pessoas e se relacionar. Realizamos uma pesquisa Quali-Quanti, acreditando na importância do aprofundamento no tema, visto que o uso de inovações tecnológicas torna-se mais popular a cada dia.

A finalidade da pesquisa é que possamos entender a mudança nestas relações com uma linha teórica baseada na psicanálise e não analisarmos a tecnologia em si. Como já postulado por Freud (1921/2016), é de extrema importância que haja estudos sobre a afetividade e seus desdobramentos, acredita-se que na palavra “amor”, com suas múltiplas acepções, a língua fez uma síntese perfeitamente justificada, e o melhor a se fazer é toma-la como base para nossas discussões e exposições científicas.

OBJETIVO

O principal objetivo desta pesquisa é analisar a transformação das gerações e seus vínculos afetivos, através do olhar da psicanálise. Para que assim, possamos chegar a uma visão global dos fatores que contribuem com as mudanças na forma de se relacionar e buscar novos parceiros entre as pessoas.

MÉTODO

Optamos por uma pesquisa quantitativa como instrumento de campo, através de um questionário online composto por 25 questões de múltipla escolha. A elaboração das perguntas para o questionário visa investigar o perfil dos usuários de aplicativos de relacionamento. O questionário ficou cerca de quinze dias disponível e sua divulgação foi feita através do Facebook e em grupos dentro do aplicativo Whatsapp, sendo respondido por 160 pessoas.

Σ

PATHOS / V. 05, n.03, 2017 66