Pathos: revista brasileira de práticas públicas e psicopatologia 5º Volume - Page 55

Deve-se considerar que, em busca de trabalhos que analisaram atendimentos hospitalares com palhaços em bases de dados científicas 1, no dia 23 de março de 2016, a partir dos verbetes “palhaços” e “hospital”, encontraram-se apenas trinta e um (31) artigos produzidos por brasileiros, no período de 2000 a 2016. Destes, seis (6) tratavam da técnica do palhaço em si, vinte e um (21) eram voltados ao atendimento de crianças e adolescentes no hospital, outros três (3) abordavam o atendimento na enfermaria com adultos e crianças. Assim, somente um (1) artigo era totalmente dedicado ao paciente adulto e outro (1) dedicado a visitas asilares (adultos e/ou idosos). Este resultado indica uma área de pesquisa que anseia por novos dados e interpretações, especialmente voltados para adultos e idosos.

Deste modo, a análise da atuação do palhaço com o lúdico e da sua eficácia na humanização do cuidado com pacientes adultos, pode ajudar a divulgar esse trabalho e trazer importantes reflexões de sua eficácia, contribuindo assim para que novas estratégias de atuação sejam utilizadas. Diante do exposto, este estudo objetivou verificar a influência da humanização no ambiente hospitalar através do lúdico utilizado pelos palhaços.