Pathos: revista brasileira de práticas públicas e psicopatologia 5º Volume - Page 26

Σ

PATHOS / V. 05, n.03, 2017 25

Em 2016, a Tenda passa por uma reforma, onde foi construída uma sala multiuso, usada pelas equipes de Consultório na Rua e Orientadores Sociais da SMADS, para atendimento dos usuários, e muitas vezes, para fazer reuniões de equipe. Também construíram: bebedouros, tanques para lavagem as roupas, varais, gazebo com uma mesa grande, o que possibilitou a melhora na execução das oficinas, uma lavanderia que funciona como extensão da frente de trabalho do Programa De Braços Abertos, um almoxarifado e um armário para armazenar roupas de doação. Houve também melhorias na parte interna: administração, cozinha e dispensa.

Após a implantação do Programa De Braços Abertos, pudemos observar uma mudança não somente nos hábitos, mas também no comportamento dos beneficiários. Percebemos que a partir do momento que essas pessoas se apercebem que estão sendo acolhidas de forma carinhosa e humana onde a preocupação está focada em resgatar a sua autoestima e a sua cidadania há muito esquecidas, começam a se dar conta de que estão vivos e de que a vida pode oferecer novas oportunidades. Assim, sobrevém o desejo de se tratarem, não só das drogas, como também da pele, do cabelo e das unhas. Eles voltam para a vida.

P.P.P. “Bebia muito e usava bastante pedra. Só queria saber de farra. Brigava e xingava muito as pessoas. Agora com a mudança para um outro hotel e com meu parceiro e minha filha, tudo mudou. Sou grata ao Programa pois fui valorizada. Pessoas me ouviram e me ajudaram. Não quero mais voltar para o fluxo”.

Estar na Tenda, vivenciar a Tenda, trabalhar na Tenda, não são experiências fáceis, porém, extremamente marcantes. É um aprendizado sem volta. Porque você se depara com a fragilidade do outro e com a fragilidade da vida estampando as suas próprias fragilidades. Na Tenda, não há rotina, não existem protocolos, não existe sossego. E você se repensa dia após dia. As perdas são muitas e você sofre. Os sucessos, nem tanto, mas você se alimenta deles e fica feliz porque mostram que tudo pode ser possível. Por trás de cada um desses rostos existe uma história. E a cada história o seu arcabouço se desfaz e se refaz novamente. O trabalho acontece em eterno gerúndio. O próximo instante é desconhecido. E o futuro é o próximo instante. Acreditamos fazer o certo dentro do incerto. A única certeza que podemos ter é a de que cada uma dessas pessoas estará indelevelmente tatuada no escaninho das nossas almas. Para sempre.