Pathos: revista brasileira de práticas públicas e psicopatologia 5º Volume - Page 21

Σ

PATHOS / V. 05, n.03, 2017 20

O treinamento teve duração de três meses possibilitando aos profissionais uma maior compreensão da problemática enfrentada por essas mulheres e de como atuar nesses casos.

Em maio de 2014 observamos um aumento significativo de mulheres gestantes e com problemas ginecológicos. Resolvemos então discutir a questão com a Coordenadoria de Saúde Mental, chegando à conclusão que seria necessário e prudente a vinda de um médico ginecologista para que junto ao consultório na rua, pudesse orientar e encaminhar essas gestantes. Surgiu assim, o grupo de gestantes que contava também com a participação de outros serviços do território. Estabeleceu-se um protocolo de atendimento, onde o agente de saúde e o agente social fariam a sensibilização das mulheres para os tratamentos, em especial das gestantes para o pré-natal, e a busca ativa das mesmas quando necessário. A equipe especializada faria atendimento semanal para avaliar e acompanhar cada caso, ofertando avaliação de saúde mental, suporte psicológico e acompanhamento da gestante de alto risco. O Amparo Maternal disponibilizou os leitos para as gestantes e a acolhida das mesmas por um período de até seis meses. O agente social ficou com a responsabilidade de orientar as usuárias quanto aos direitos das mães junto à Vara da Infância e do Conselho Tutelar.

A Tenda D.B.A. localizada estrategicamente próxima à cena de uso no território da Luz é a porta de entrada não somente dos usuários que desejam ingressar no Programa como também daqueles que procuram o local como um espaço de escuta das suas necessidades de saúde e sociais. Nesse contexto, a Tenda se constitui como um espaço essencial e principal de acolhimento onde se privilegia o usuário na sua subjetividade, num processo de responsabilização e resolutividade de suas demandas sociais e de saúde, conferindo um caráter humanitário ao atendimento e de qualificação da escuta.

A implantação da Tenda De Braços Abertos mobilizou a participação da sociedade civil, da Rede Social do Centro, das ONGS, cada qual com um tipo de contribuição, seja nas oficinas de caráter artístico-cultural, esportivas, de higiene pessoal, espiritual, ou mesmo através da oferta de alimentos e roupas.

As oficinas de música são as mais procuradas. Entre os participantes encontramos vários usuários de talento ou mesmo muitos que já trabalharam como músicos, instrumentistas e compositores. Nesse gênero, a tenda oferece as oficinas de Roda de Samba, Rima, Rádio e Hip Hop.