O queijo de coalho em Pernambuco: histórias e memórias - Page 99

COMPROVAÇÃO DE REPUTAÇÃO DO QUEIJO DE COALHO DO AGRESTE DE PERNAMBUCO 5.1. Interfaces da história com a memória faz fluir a reputação do queijo Evolução da fabrica CASA DO QUEIJO - Compre mais, hoje VALE LAC no município de Pedra: 1994 2005 2012 Ao discutirmos sobre formas e sabores do produto queijo de coalho que tem suas peculiaridades na área da bacia leiteira, na região do Agreste do interior do Estado de Pernambuco, vamos à ampliação e articulação com as fontes bibliográficas, periódicos, almanaques, propagandas e receitas, diários oficiais, álbum de município e fotografias. Buscamos a história oral no estudo com o uso da metodologia oral, através da memória, fazendo o uso de fontes vivas nessa inter-relação entre história e memória com realização da pesquisa desde 2006, com fontes evocadas no agreste e limiar do sertão, assim como na capital pernambucana. De acordo com a visão halbwachsiana88, as diferentes situações que têm sido vividas pelos entrevistados, com as artes de fazer o queijo, no espaço pernambucano, vão ser transformadas em memória quando aquele que lembra vai continuar afetivamente se sentindo parte desse espaço no presente. No entanto, não há rompimento entre passado e presente pela memória por que esta somente vai reter o que está vivo, e em seguida ser preservado na consciência do grupo. Por sua vez, Pierre Nora89 nos faz entender numa situação como esta vivenciada, aonde a produção do queijo vem se transformando em tradição quer seja com relação ao seu fazer ou ao seu degustar, que a memória é um fenômeno atual de maneira contínua e reporta a tradição à herança. Por outro lado, o passado é revelado pela história que a reconhece, sendo “uma representação do passado”. 97