O queijo de coalho em Pernambuco: histórias e memórias - Page 84

82 O QUEIJO DE COALHO EM PERNAMBUCO: HISTÓRIAS E MEMÓRIAS A partir desse trabalho, foi definido o regulamento de uso, que deverá ser aplicado pelos produtores e laticínios inseridos no processo. Definiram-se as raças que poderiam fornecer o leite, a alimentação animal que pode ser empregada (incluindo o uso obrigatório de palma forrageira), a rastreabilidade e a carência das vacas leiteiras, elementos relativos à procedência, a qualidade e ao transporte da matéria-prima; os estabelecimentos que podem pleitear a autorização de produzir o queijo, a tecnologia de fabricação e as características do queijo que devem ser respeitadas. O Conselho Regulador irá verificar se todos os pontos definidos no regulamento são respeitados, caso contrario, o selo de Indicação Geográfica poderá ser suspenso. Em dezembro de 2010, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), por meio da sua Coordenação de Incentivo à Indicação Geográfica de Produtos Agropecuários, decidiu apoiar o projeto de realização de estudos para a conclusão do dossiê de reconhecimento para a Indicação de Procedência do queijo de coalho do Agreste de Pernambuco, pelo convênio firmado entre o Mapa e o Itep (N° 755098/2010). O convênio teve como objetivo a finalização deste livro sobre a história e comprovação da reputação do queijo de coalho do Agreste de Pernambuco, além de buscar atualizar e finalizar os trabalhos, permitindo delimitar a área geográfica de produção da matéria-prima e do queijo de coalho. Esses trabalhos permitirão a conclusão e encaminhamento do dossiê de solicita ção do reconhecimento de Indicação Geográfica para o queijo de coalho do Agreste de Pernambuco pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi). Por meio desse convênio, foi realizado, no dia 16 de agosto de 2012, o Workshop sobre a Delimitação da Área Geográfica de Produção do Queijo de Coalho do Agreste de Pernambuco. O evento contou com 80 participantes, constituídos por produtores, representantes de associações e cooperativas, representantes de entidades públicas e privadas, cientistas, professores, estudantes e profissionais afins do segmento. O workshop teve a finalidade de apresentar dados científicos e mapas, com o intuído de auxiliar a definição da área de produção do queijo de coalho no Agreste pernambucano. Workshop sobre a Delimitação da Área Geográfica de Produção do Queijo de Coalho do Agreste de Pernambuco, em 16/08/2012