O queijo de coalho em Pernambuco: histórias e memórias - Page 82

80 O QUEIJO DE COALHO EM PERNAMBUCO: HISTÓRIAS E MEMÓRIAS Os produtores receberam treinamentos em ordenha higiênica, alimentação dos animais, manejo dos animais e processamento (BPF). O objetivo foi atingir um padrão exigido pela legislação para o produto final. Uma boa parte desse trabalho e, principalmente, a parte treinamento, teve coordenação do Comitê de Educação Profissional da Pecuária Leiteira (CEPLEITE). Em paralelo, foi criada e treinada uma comissão de degustação. A comissão, formada por produtores e profissionais, teve a missão de caracterizar o queijo de coalho “do Agreste”. O do tipo B (fabricado com leite cru) do Agreste de Pernambuco foi definido sensorialmente da seguinte forma: 1a Reunião de análise sensorial, em Garanhuns, no dia 11/10/2005 QUEIJO DE COALHO DO AGRESTE DE PE “TIPO B” FORMATO: TAMANHO: PESO: COR: ASPECTOS GERAIS: TEXTURA: CHEIRO: CONSISTÊNCIA: SABOR: Retangular Comprimento 20 a 22 cm Largura 12 a 13 cm Altura 3,1 a 3,9 cm 1 Kg a 1,1Kg Variando entre cor de leite e creme de leite. Superfície lisa sem marca, bordas bem definidas (em forma de quina), lateral com tolerância de marcas Obs: a parte de baixo fica para cima. Firme com leve resistência a pressão (na pressão dos dedos nas bordas, quase não deforma). No corte, massa fechada ou com algumas falhas mecânicas. de coalhada ou de leite, com leve acidez Macio com firmeza, sem sensação de emborrachamento. O sabor de coalhada predomina, com leve acidez e presença de sal Treinamento da comissão sensorial