O queijo de coalho em Pernambuco: histórias e memórias - Page 76

74 O QUEIJO DE COALHO EM PERNAMBUCO: HISTÓRIAS E MEMÓRIAS A VALORIZAÇÃO DO QUEIJO DE COALHO DO AGRESTE DE PERNAMBUCO A migração de pessoas sempre permitiu a trocar de experiências e aquisição de novos conhecimentos, seja de uma localidade para outra, de uma região para outra ou de um continente para outro. A vinda, por meio do Instituto de Tecnologia de Pernambuco (Itep), do tecnólogo francês Benoit Paquereau a Pernambuco, em 1998, trouxe tecnologias inovadoras na área de produtos e processos lácteos. O processo de Indicação Geográfica, voltado para a valorização de queijos artesanais, chamou a atenção de Moshe Dayan, então produtor de leite e técnico do Sebrae Garanhuns. A capacidade de mobilização do técnico do Sebrae vai rapidamente resultar na adesão de numerosos produtores de laticínios para iniciar o processo de Indicação Geográfica do queijo de coalho do Agreste de Pernambuco.