O queijo de coalho em Pernambuco: histórias e memórias - Page 69

O QUEIJO DE COALHO SE FORTALECE NO AGRESTE O Agreste, conhecido mais particularmente como região localizada a oeste do Recife, realiza, de maneira combinada, a agricultura de subsistência e a criação de gado. Suas terras ocupam porções consideradas subúmidas, com trechos mais elevados no planalto de Garanhuns, geralmente acima de 800 metros de altitude, ilhas ou manchas de clima mesotérmico. A região de transição, o Agreste pernambucano, amplia-se por 18.830 km², ora apresentando características bem semelhantes às da Mata, ora do Sertão semiárido. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)76 e o Departamento de Estatística do Estado, 37 municípios se compunham no início dos anos 1960 no Agreste. Os limites naturais, como diz Manuel Correia de Andrade77, não servem para delimitar os municípios, considerando que os situados no Agreste têm parte de seu território na Mata, como Correntes, Lagoa dos Gatos e Canhotinh o; e outros no Sertão, como Taquaritinga do Norte, Santa Cruz do Capibaribe, Brejo da Madre de Deus e Alagoinha. De igual forma, são visivelmente agrestinos certos trechos de Vitória de Santo Antão e Bonito, situados na Zona da Mata. O mesmo acontecendo com parte dos municípios sertanejos de Pedra, Buíque e Águas Belas. Com elevações que ultrapassam a 1000 metros, o planalto de Garanhuns, no seu trecho Sudoeste vai declinar até uma média de 400 metros na direção Nordeste e Leste, assim apresenta-se em média com tal altitude nas áreas drenadas pelo rio Una e seus afluentes. Enquanto isso, o rio Capibaribe no seu curso há uma superfície aplanada, no sentido norte-sul, superior a 40 quilômetros. Estende-se na porção ocidental desde Brejo da Madre de Deus, serra do Jacarará, até o município de Bom Jardim. As altitudes, na parte mais ocidental, vão declinando na direção da nascente para Surubim, na área mais leste. O Agreste, por ser uma região de transição, tem as paisagens mais diversas. Em alguns lugares, tão úmidas quanto na Zona da Mata, que ora são ilhadas ou aparecem em grandes prolongamentos. Em outras localidades, bastante secas como o Sertão, com a predominância da caatinga. E em outras, ainda tipicamente de transição, onde fica o Agreste propriamente dito ou “encosto de brejo”78: Transporte de palma em carro-de-boi na contemporaneidade, no município da Pedra As extensões agrestinas se apresentam quase desprovidas de solos. A camada humosa é quase inexistente, ao mesmo tempo que o regolito se apresenta nas mais amplas extensões sob a forma de um manto de decomposição com espessura inferior a um metro. As vezes está ausente, dando margem ao afloramento de grandes lajedos. Daí a ausência de lençóis freáticos em grandes extensões, criando problemas de abastecimento de água e limitando a capacidade produtiva, agrícola e pecuária da região. Essas condições, porém, são modificadas quando é maior a umidade do ar ou a taxa pluviométrica, originando o contraste enorme existente entre as áreas mais elevadas e, consequentemente, mais expostas ao vento de Sudeste, e as superfícies aplanadas mais baixas.” (p.30) Transporte alternativo de leite no Agreste de Pernambuco 67