O queijo de coalho em Pernambuco: histórias e memórias - Page 61

CAPÍTULO 3 O QUEIJO DE COALHO SE FORTALECE NO AGRESTE O queijo é um alimento consumido há muito tempo em todo o mundo. Na época da colonização portuguesa, com a implantação dos engenhos de cana-de-açúcar, o gado era utilizado como meio de transporte, entre outras funções necessárias ao dia a dia da produção. Contudo, devido aos poucos espaços destinados à criação do gado, por causa dos estragos que os mesmos causavam ao plantio, o animal foi levado para o Sertão, onde teve uma boa adaptação. No Sertão, ele dava bastante leite, essencial para a produção de queijos e doces, o que se tornou uma prática comum no interior da colônia. Segundo Lins59 e Andrade60, a atividade pecuária por seu lado, na trilha dos sertões, na área Agreste, prevaleceu até o século XVIII e tornar-se mais agrícola nos séculos seguintes com a agricultura. Neste sentido, consoante a discussão que traz Andrade (1998), a geógrafa Betânia Amador61 aprofunda a discussão ao dizer que62: [....] embora a pecuária tenha se caracterizado em termos de ocupação de área, pois durante séculos se deu de maneira extensiva , passou a exibir status de uma atividade econômica rentável evoluindo para uma criação relativamente intensiva, especializando-se na produção de leite e de carne. Com esse entendimento a mesma argumenta que: A ocupação e uso das terras do Agreste pernambucano pautaram-se prioritariamente pela atividade pecuária e agricultura de subsistência tendo em anos mais recentes [...] mostrado disc reta transformação local devido ao lado de, entre outros aspectos, a produção de leite e manter-se em destaque. Como vimos, a princípio, o queijo de coalho não era o preferido da sociedade pernambucana, principalmente daqueles que faziam parte de uma classe privilegiada. Essa falta de interesse pelo insumo fica evidente perante o número grandioso de importações de queijos vindos da Europa e de outros continentes. As propagandas do jornal Diario de Pernambuco63 (1862), com grande circulação na época, já demonstra bem essa preferência: 59