O queijo de coalho em Pernambuco: histórias e memórias - Page 43

O TRAJETO DO GADO E O POVOAMENTO DOS SERTÕES: Produção de queijo no interior do Brasil especializada, pois a criação necessitava de poucos cuidados na época. Não obstante, diz o citado historiador37, não se deixou de gerar uma cultura dos Sertões do Brasil, de Pernambuco, preservando as diferenças que continuam a existir no País, com o seu imenso território. Podemos observar que a vida do habitante do Sertão, localizado em áreas de clima árido com escassez das chuvas, teve, historicamente, o rótulo da seca, tratada em muitas obras da historiografia brasileira. Entretanto, o sertão também tem áreas diferenciadas em relação às águas, aos solos, aos usos da terra e às novas formas de vida. Várias são as regiões do mundo que têm o fenômeno da seca. No entanto, em várias dessas localidades a vida tem sido produtiva sem a marca da fome ou da morte. 2.6. A pecuária é precursora da tão sonhada liberdade É de notar-se que há um fosso entre o Litoral açucareiro e o Sertão, para o qual o historiador e geógrafo Caio Prado Júnior38, ao olhar a pecuária, chama atenção: (...) Quero referir-me à separação completa e nítida entre a pecuária e a cultura da terra que aí se revela (...). Também apontei a causa última determinante de tal estado de coisas: o sistema geral da economia e da agricultura brasileira, voltada para a produção absorvente de uns poucos gêneros destinados ao comércio exterior, e com a monocultura que deles resulta. Entende-se o quanto eram precários e difíceis os contatos com o Litoral, de forma que os criadores se socorriam do sal para manter o gado nos lambedouros ou barreiros naturais, ou nas jazidas localizadas às margens do São Francisco. O valor do gado era ínfimo. O escambo substituía a moeda e os vaqueiros eram pagos em espécie, nas partilhas ou sortes, em cada três ou cinco anos, recebendo um quarto do total das crias. A pobreza dos solos e a dificuldade das aguadas dilatavam as fazendas por áreas muitas vastas, em contraste com a rarefação extrema dos contingentes humanos que participavam do desenvolvimento da frente pastoril. 41