O queijo de coalho em Pernambuco: histórias e memórias - Page 35

O TRAJETO DO GADO E O POVOAMENTO DOS SERTÕES: Produção de queijo no interior do Brasil —1570), chefe da primeira missão jesuítica à América, afirma que em 1551 já havia presença de bois, vacas, ovelhas, cabras e galinhas subentendo que ele poderia ter escrito essa informação em Pernambuco. Através do historiador e cronista português, Pêro de Magalhães Gândavo (1540 — 1580), mostra que em 1570 já havia grande copia de gado trazido do Cabo Verde em todas as Capitanias desta provincia do Brasil, incluindo em Pernambuco. Analisando as escritas de Gabriel Soares de Sousa (1540 — 1591), comprova que em 1578, já tinha se introduzido na colonia pernambucana a criação de gado vacum, e que era então já tão próspera que permitia a sua exportação para a Bahia. Em 1582, sobre as missões de Pernambuco de Fernão Cardim (1549 — 1625) também jesuíta português relata que a capitania pernambucana era terra de muita criação de vacas....... e que as suas fazendas eram maiores e mais ricas que as da bahia..... Tratando da fabricação de queijo, foi através do Inglês Robert Southey (1774 - 1843), quando tratando do estado de adiantamento da colônia pernambucana; afirma que já em 1581 se fabricava queijo em Pernambuco; sendo está citação a primeira citação de fabricação de queijo no Brasil conhecida até hoje. “O gado vacum, trazido de Cabo Verde, multiplicava prodigiosamente; fabricava-se manteiga e queijo, e do leite se fazia o mesmo uso que na mãe pátria pouco influindo nisso o clima.” 33