O queijo de coalho em Pernambuco: histórias e memórias - Page 141

139 74 PEREIRA, Rui Felix; Van Der Linden Rubem. Almanaque de Garanhuns: a cidade do clima maravilhoso. Garanhuns: Livraria Helena, 1936, 1937. 75 TRICARD, Jean François. Divisão Morfoclimática do Brasil Atlântico Central. 1960, p.4-9. 76 IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Departamento de Estatística do Estado de Pernambuco. 1960. 77 ANDRADE, Manoel Correia de. Pecuária Leiteira do Agreste de Pernambuco. Tese de doutorado em geografia , Universidade federal de Pernambuco, Recife, 1961. 78 Idem , p. 75 79 Idem , p. 80 80 Ibidem, p.105. 81 Op.cit, , p.79. 82 Ibidem, 83 ANDRADE, 1961, p. 99 84 MAPA – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Curso de propriedade intelectual & inovação no agronegócio, Modulo II Indicação Geográfica. Brasil 2° semestre de 2009. 85 JUS NAVIGANDI. Indicação geográfica: notas sobre a indicação de procedência e denominação de origem. http://jus.com.br/artigos/13710/indicacao-geografica-notas-sobre-a-indicacao-de-procedencia-e-denominacao-de-origem. 10/2009. 86 JUSBRASIL. Instrução Normativa nº 30, de 7 de agosto de 2013. http://www.jusbrasil.com.br/diarios/57540706/dou-secao-1-08-08-2013-pg-19. Diário Oficial da União 08/08/2013. 87 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR. Instrução Normativa n°25/2013.http://www.impi.gov.br/images/docs/instrucao_normativa_25_indicacoes_geograficas[2].pdf. 21/08/2013.