O queijo de coalho em Pernambuco: histórias e memórias - Page 113

111 TEXTO 05114: SITE MILKPOINT, 01 DE JANEIRO DE 2008, pags. 1-6; BENOIT PAQUEREAU FALA SOBRE O PROJETO DE DENOMINAÇÃO DE ORIGEM DO QUEIJO DE COALHO, EM PERNAMBUCO. O artigo é uma entrevista da Milkpoint com o mestre queijeiro Benoit Paquereau, sobre o projeto de denominação de origem do queijo de coalho de Pernambuco. O Mesmo fala inicialmente da história do queijo e sua relação com o homem e posteriormente do projeto propriamente dito, na qual extraímos algumas de suas falas: “ Busca-se essa certificação para agregar valor ao produto, em regiões em que a agricultura é pouco competitiva”; “ O projeto não pretende tomar o nome queijo de coalho, estamos desenvolvendo esse trabalho de caracterização e começando a delimitar uma área geográfica de produção desse queijo de coalho para o agreste de Pernambuco” Tudo isto em vista a preservação de um patrimônio de Pernambuco e sua valorização no mercado tanto nacional, como internacional. TEXTO 06115: JC Online, Recife, 18/08/2012 AgriNordeste gourmet No site no espaço Cozinha de Terroir, apresenta-se que o evento AgriNordeste, realizado em Recife, e promovido pela Federação de Agricultura de Pernambuco, nos seus 20 anos de atuação contará com uma novidade que é o Sabor Rural visando valorizar a gastronomia a partir de produtos locais. Neste sentido, as principais faculdades locais de gastronomia foram recrutadas para participar de um concurso usando insumos da cadeia leiteira estadual “O queijo de coalho pernambucano apresenta características únicas no Brasil” diz Benoit. O Chef Cesar Santos, coordenador do concurso, diz que “a ideia é incentivar os alunos das faculdades, que serão os futuros profissionais da gastronomia, a usar com propriedade, qualidade e orgulho os produtos locais. Em tudo o mundo, seja na França, na Espanha ou no Peru, as grandes gastronomias existem e crescem porque os profissionais da cozinha estão atentos aos produtores rurais.” TEXTO 07116: Livro: Uma Longa e Deliciosa Viagem de João Castanho Dias, p 135-139; 2010. João castanho Dias, através do primeiro livro da história do Queijo no Brasil, afirma que o Queijo de Coalho faz parte dos cinco Queijos Terroir Brasileiro junto com os queijos da Serra da Canastra, da Serra do Salitre e do Serro em Minas Gerais e o queijo dos Campos de Cima da Serra no Rio Grande do Sul. Ele enfatiza a tradição e importância do queijo de coalho do Agreste de Pernambuco dizendo que “Dos estados do Nordeste, o maior fabricante de coalho é Pernambuco, cujos 10 mil produtores.............resultando em 88 mil peças diárias que, diferentemente de outros queijos frescos do pais, têm formato retangular. A principal zona produtora é o vale do Ipanema, com esse rio temporário do Agreste Meridional...... O cognome “Vale do Queijo” lhe caberia bem........... Como o queijo de coalho no nordeste é substituto natural da carne..........”