O queijo de coalho em Pernambuco: histórias e memórias - Page 111

COMPROVAÇÃO DE REPUTAÇÃO DO QUEIJO DE COALHO DO AGRESTE DE PERNAMBUCO 5.1.2. A Memória na capital do Estado José Vitor da Silva107, 43 anos é natural de Garanhuns. Mora em Recife, bairro do Jordão e vende queijo assado a 5 anos. Anteriormente vendia cachorro quente. Ele vende de 60 a 80 kg de queijo por semana. A origem do queijo é Buique, Venturosa ou Pedra. O tipo do queijo é prensado tipo B, e os clientes preferem com orégano e mel. José Roberto108, 38 anos é natural de Paudalho. Mora em Recife, na comunidade da Ilha do destino. Vende queijo assado a 6 anos e anteriormente era porteiro. Fatura um salario por semana pela venda de 50 a 60 kg por final de semana. A origem do queijo é Buique, Cachoeirinha e Pedra. O tipo do queijo é maciço tipo B. Andre Carlos Silva109, 32 anos, natural de Recife mora no Pina. Meu pai trabalhava 4 anos com queijo, após o falecimento eu assumi a barraca dele. Vende queijo assado a 12 anos; anteriormente era porteiro. Fatura um salário por semana pela venda de 40 kg de queijo. Compra o queijo no mercado de afogados. Este é procedente de Buique. O queijo é maciço tipo B, eu não gosto do furadinho... COMENTÁRIO Pelas entrevistas realizadas na praia da Capital Pernambucana, podemos verificar a importância cultural e socioeconômica do queijo de coalho na capital; e que a procedência deste é dos municípios do Agreste de Pernambuco. 109