O queijo de coalho em Pernambuco: histórias e memórias - Page 106

104 O QUEIJO DE COALHO EM PERNAMBUCO: HISTÓRIAS E MEMÓRIAS Nome: Sérgio Neves de Macedo98 José Zezito de Macedo Mª Zuleide Neves de Macedo Pesqueira - PE Sr. Zezito: ”O queijo se fazia, uma semana, pra levar para vender em Capoeiras, era o canto de vender o queijo, passava a semana todinha com o queijo, não tinha negócio de frízer (freezer) nem nada, era para levar do mesmo tempo. Hoje os queijos estão melhores, com mais higiene. “Com mais higiene...” D. Mª Zuleide: “Mas no tempo de meu pai e de minha mãe, a higiene era melhor”. Sr. Zezito: - “Melhor que nada!” D; Mª Zuleide “Se fervia o pano do queijo, botava fervendo, fervia a água e lavava bem lavada as vasilhas e o pano com água quente, fervia também a desnatadeira. Hoje não se usa mais desnatadeira”. Agora tem muitos cantos por aqui e vem que tem higiene, tem outras pessoas que não tem”. Sr. Zezito: “É os queijos são tudo misturados. Vai aí pra feira, a gente vê mesmo, vê queijo que não sabe como é que a pessoa compra um queijo daquele e leva para comer, leva para o Recife, para outros cantos. A gente vê que é tudo queijo feio, mal feito, desmantelado”. Sérgio: “É porque no tempo deles era assim: a feira de Capoeira é nas sextas-feiras. Se fosse vender na feira de Capoeiras fabricava o queijo no sábado, domingo, segunda, terça, quarta. E o da quinta não ia vender no outro dia. Era como botar para maturar, numa salgadeira grande ali ia botando sal em cima, virando e não vendia nada, não existia frízer (freezer). Que diz era aquele queijo maturado. Tinha, não sei...uma durabilidade até maior que hoje.Hoje se faz de manhã e bota no frízer, faz de tardinha e de manhã bota no frízer.Desta forma que a gente trabalha. Na época deles era dessa forma: faziam não usavam essas prensas, as fôrmas eram uma em cima da outra com as tábuas, ia enchendo ali então era a maneira”. D. Mª Zuleide? “Não é todo homem que tem essa queda para limpeza, não é isto? Então são as mulheres que devem tomar a frente, mas tem mulheres que não tem coragem, depende das pessoas a limpeza”. Sr. Zezito? Por aí tem gente, que está botando ordenhadeira e que está achando, já começando a fazer, botar mulher pra ajudar a tirar, a lutar com a máquina...(sic)”. Sérgio: “A diferença do queijo de coalho quando comecei em 1989, é que não se usava esse coalho líquido era com estômago bovino, aqui a gente coava...”. COMENTÁRIO Havia acumulo da produção com dia e lugar certo para comercialização. Com a ausência de refrigeração o queijo era posto em salgadeiras daí maturava .As condições de higiene variavam de produtor para produtor. Constata que a falta de padronização de peso, cor , tamanho dos queijos , gera a oferta de produtos das mais variadas formas, e também precárias condições de higiene, para comercialização.