Nómadas 02 - Page 20

mas como os javalis, de noite, veem mal, o vento estava bom e eu só mexi os olhos e pouco, acreditei que voltavam, até porque não se afastaram muito, só o suficiente para entrarem no mato. Lá voltaram, sopraram, roncaram mas por fim puseram-se a comer. Quando me apercebi que voltariam aproveitei para me levantar e agarrar no arco. Com a perspetiva de atirar o coração acelerou mas consegui controlar as emoções. O maldito cevadouro continuava à sombra! Os dois javalis tiveram 45 minutos a comer de frente para mim, só lhes via a testa e mal. Eu de pé comecei a ter queixas do corpo. Já não estava a correr bem a coisa! Por fim decidi que não ia atirar. Não tinha visibilidade suficiente, os javalis estavam de frente e faltava-me a confiança ainda para um tiro, de maneira que decidi só armar o arco para perceber como era. Ao levantar o arco uma das penas tocou levemente no casaco e, por estarem tão perto e serem tão bons de ouvido, assustaram-se os javalis.