MORAL E DOGMA I - SIMBÓLICOS - 1º ao 3º GRAU MORAL E DOGMA Vol I - Page 6

uma série de processos perante o Supremo Tribunal dos Estados Unidos. Pike empobreceu por conta da Guerra Civil, permanecendo assim por grande parte da vida, frequentemente contraindo empréstimos para despesas básicas do Supremo Conselho, antes do conselho votar a seu favor , em 1879, uma anuidade de $1,200 por ano para o resto de sua vida. Albert Pike faleceu em 2 de abril de 1892, em Washington, DC. Percebendo que uma revisão do ritual era necessária para que o Rito Escocês da Maçonaria viesse a sobreviver, Mackey encorajou Pike a rever o ritual, para assim produzir um ritual padrão, para o uso de todos os estados da Jurisdição do Sul. A revisão teve início em 1855 e após algumas alterações, o Supremo Conselho aprovou a revisão de Pike, em 1861. Mudanças menos significativas foram feitas em dois graus em 1873, após corporações do Rito de York no Missouri contraporem objeções de que os graus 29º e 30º revelavam os segredos do Rito de York. Pike é mais conhecido pela sua grande obra, Morals and Dogma of the Ancient and Accepted Scottish Rite of Freemasonry, publicado em 1871. Morals and Dogma não deve ser confundido com a revisão de Pike, do ritual do Rito Escocês. Estas são obras separadas. Walter Lee Brown escreveu que Pike “destinou-o [Morals and Dogma] a ser um suplemento para aquele grande ‘sistema interligado de instruções morais, religiosas e filosóficas’ desenvolvido em sua revisão do ritual Escocês.” Morals and Dogma era tradicionalmente dado ao candidato após a sua recepção do 14º grau do Rito Escocês. Esta prática foi interrompida em 1974. Morals and Dogma não é mais dado a candidatos desde 1974. A Bridge to Light (Uma Ponte para a Luz), de Rex. R. Hutchens, é concedido aos candidatos hoje. Hutchens lamenta que Morals and Dogma seja lido por tão poucos Maçons. A Bridge to Light foi escrito para ser “uma ponte entre as cerimônias dos graus e suas leituras de Morals and Dogma”. X