MORAL E DOGMA I - SIMBÓLICOS - 1º ao 3º GRAU MORAL E DOGMA Vol I - Page 20

MORAL E DOGMA Uma “Loja” é definida como uma “reunião de Maçons, pontualmente congregados, tendo a escritura sagrada, o esquadro e o compasso, e um alvará, ou certificado de constituição, autorizando-os a trabalhar”. A sala ou lugar no qual se reúnem, representando uma parte do Templo do Rei Salomão, também é chamada de Loja; e isto é o que nós agora estamos considerando. Diz-se que é suportada por três grandes colunas, SABEDORIA, FORÇA e BELEZA, representadas pelo Mestre, o Primeiro Vigilante e o Segundo Vigilante; e estas são as colunas que sustentam a Loja, “porque Sabedoria, Força e Beleza são a perfeição de tudo, e nada pode perdurar sem elas”. “Porque”, diz o Rito de York, “é necessário que haja Sabedoria para conceber, Força para sustentar e Beleza para adornar todos os empreendimentos grandes e importantes”. “Não sabeis”, diz o Apóstolo Paulo, “que sois o templo de Deus, e que o Espírito de Deus habita em vós? Se algum homem profanar o templo de Deus, Deus o destruirá, pois o templo de Deus é sagrado, e o templo sois vós”. A Sabedoria e o Poder da Divindade estão em equilíbrio. As leis da natureza e as leis morais não são meros mandatos despóticos de Sua vontade Onipotente; pois então poderiam ser mudadas por Ele, e a ordem se tornar desordem, e o bom e o certo se tornarem mau e errado; honestidade e lealdade, vícios; e fraude, ingratidão e vício, virtudes. O poder Onipotente, infinito, existindo só, necessariamente não seria forçado à consistência. Seus decretos e leis poderiam não ser imutáveis. As leis de Deus não são obrigatórias para nós porque são decretos de Seu PODER, ou expressão de Sua VONTADE; mas porque expressam sua infinita SABEDORIA. Não são certas porque são Suas leis, mas são Suas leis porque são certas. Do equilíbrio entre a sabedoria infinita e a força infinita resulta a harmonia perfeita, na física e no universo moral. Sabedoria, Poder e Harmonia constituem uma tríade Maçônica. Eles têm outros e mais 10