MORAL E DOGMA I - SIMBÓLICOS - 1º ao 3º GRAU MORAL E DOGMA Vol I - Page 17

CAPÍTULO I. APRENDIZ vontade do povo; o governo harmonioso, simétrico, eficiente, – seus poderes propriamente distribuídos e devidamente ajustados em equilíbrio. Se delinearmos um cubo sobre uma superfície plana, assim: Teremos visíveis três faces e nove linhas externas, desenhadas entre sete pontos. O cubo completo tem três faces a mais, formando seis ; três linhas a mais, formando doze ; e um ponto a mais, formando oito . Como o número 12 inclui os números sagrados 3, 5, 7, e 3 vezes 3, ou 9, e é produzido pela soma dos números sagrados 3 e 9; enquanto seus próprios dois dígitos 1, 2, a unidade ou mônada, e dúada, somadas juntas, geram o mesmo número sagrado 3; ele foi chamado de número perfeito – e o cubo se tornou o símbolo da perfeição. Produzido pela FORÇA, agindo pela RÉGUA; martelado de acordo com as linhas mensuradas pela Escala, a partir da Pedra Bruta, é um símbolo apropriado da Força do povo, expressa como a constituição e lei do Estado; e as três faces visíveis representam os três departamentos do próprio Estado, – o Executivo, que executa as leis; o Legislativo, que faz as leis; o Judiciário, que interpreta as leis, as aplica e as reforça, entre pessoa e pessoa, entre 7