MORAL E DOGMA I - SIMBÓLICOS - 1º ao 3º GRAU MORAL E DOGMA Vol I - Page 16

MORAL E DOGMA canais diferentes, por subdivisão, as águas abundantes do Nilo, e as compeliram a fertilizar e não devastar a terra. Deve haver o jus et norma, a lei e Régua , ou Escala , da constituição e da lei, dentro da qual a força pública deve agir. Faça-se uma brecha em qualquer uma delas e o grande martelo a vapor, com seus golpes velozes e pesados, reduz todo o mecanismo a átomos e, por fim, desconjuntando-se violentamente, repousam morto e inerte em meio à ruína que forjou. A FORÇA das pessoas, ou a vontade popular, exercida e em ação, simbolizada pelo MALHETE, regulada, guiada por, e agindo dentro dos limites da LEI e da ORDEM, simbolizada pela RÉGUA DE VINTE E QUATRO POLEGADAS, tem como seu fruto: LIBERDADE, IGUALDADE e FRATERNIDADE – liberdade regulada pela lei; igualdade de direitos aos olhos da lei; irmandade com seus deveres e obrigações, bem como com seus benefícios. Você ouvirá falar em pouco tempo da PEDRA BRUTA e da PEDRA PERFEITA, como parte das joias da Loja. A Pedra Bruta é dita como “uma pedra, como retirada da pedreira, em seu estado rude e natural”. A Pedra Perfeita é dita como “uma pedra preparada pelas mãos dos trabalhadores, para ser ajustada pelas ferramentas de trabalho dos Companheiros”. Não devemos repetir as explicações destes símbolos dadas pelo Rito de York. Você poderá lê-las em seus manuais impressos. São declaradas para aludirem ao autoaperfeiçoamento do trabalhador individual, – uma continuação da mesma interpretação superficial. A Pedra Bruta é o POVO, como uma massa, rude e desorganizado. A Pedra Perfeita, ou Pedra Cúbica, símbolo da perfeição, é o ESTADO, os regentes derivando seus poderes do consentimento dos governados; a constituição e as leis dizendo a 6