MORAL E DOGMA I - SIMBÓLICOS - 1º ao 3º GRAU MORAL E DOGMA Vol I - Page 12

MORAL E DOGMA vapor, que levanta os pesados braços de ferro e gira as grandes rodas, é feita para furar e tornear o canhão e tecer o mais delicado laço. A força cega do povo precisa ser regulada pelo Intelecto e o intelecto é para as pessoas, e para a Força das pessoas, o que a fina agulha da bússola é para o navio – sua alma, sempre aconselhando a enorme massa de madeira e ferro, e sempre apontando para o norte. Para atacar as cidadelas construídas por todos os lados contra a raça humana por superstições, despotismos, e preconceitos, a Força deve ter um cérebro e uma lei. Por isso, suas façanhas conquistam resultados permanentes, e aí há progresso real. Então ocorrem conquistas sublimes. O Pensamento é uma força, e a filosofia deve ser uma energia, encontrando seu alvo e seus efeitos no aprimoramento da humanidade. Os dois grandes motores são a Verdade e o Amor. Quando todas estas Forças são combinadas, guiadas pelo Intelecto, reguladas pela RÉGUA do Direito, e da Justiça, e com movimento e esforço combinados e sistemáticos, a grande revolução preparada pelas eras começará a marchar. O PODER da Própria Divindade está em equilíbrio com Sua SABEDORIA. Em consequência, o único resultado é a HARMONIA. Como a Força é mal regulada, as revoluções se provam falhas. Por isso é que, tão frequentemente, insurreições vindas daquelas altas montanhas que tiranizam o horizonte moral, a Justiça, a Sabedoria, a Razão e o Direito, construídas da mais pura neve do ideal, após uma longa queda de rocha a rocha, depois de terem refletido o céu em sua transparência e terem sido enchidas por cem afluentes, no caminho majestoso do triunfo, repentinamente se perdem em charcos, como um rio da Califórnia nas areias. A marcha da raça humana adiante requer que as alturas ao seu redor fulgurem com nobres e duradouras lições de coragem. 2