Master of Simplicity Magazine #5 Setembro/Outubro 2017 - Page 35

Só depois de ser mãe aprendi o significado da prioridade pelo coração e da prioridade pelo racional (incluindo responsabilidade, compromisso, etc.). Hoje parei dez vezes de trabalhar, as dez vezes para dar atenção à minha bebé que estava pedindo. Descobri que se acordava com dor de barriga e melhorei o momento dela com um chá. As interrupções constantes no meu trabalho impediram a minha produtividade, mesmo sabendo da importância que é para mim cumprir datas e prazos. Contudo, saber que no meu coração a escolha certa era cuidar dela permitiu-me sentir que fiz o certo naquele momento.

Ter optado pela outra via, forçando fazer o meu trabalho e não percebendo os sintomas da minha bebé, iria mantê-la incomodada, chorando e me impedindo de trabalhar. No fim, eu talvez tivesse trabalho feito, mas teria também o peso na consciência e a frustração de não estar quando minha filha precisou, nem conseguir concentrar corre-tamente em fazer um trabalho bem feito. Teriam sido longos minutos de ansiedade.

O minimalismo conduz-nos a uma análise pessoal profunda. Percebemos que muitas vezes decidimos utilizar o nosso tempo com coisas que não são a prioridade do nosso coração como, por exemplo, passar horas inter-mináveis fazendo limpeza enquanto os filhos esperam a nossa atenção ou trabalhar quando nosso filho mostra sinais de não estar bem. Por muito que cumprir aquele prazo também seja

importante, nada vale mais do que a vida e o tempo que passamos com quem precisa da nossa atenção.

Como diz Joshua Becker, "você nunca vai olhar para trás na sua vida e pensar eu gastei muito tempo com os meus filhos!".

"O minimalismo ajuda-nos a entender perfeitamente quais são as prioridades do nosso coração"

pela diretora,

Fátima Teixeira