Master of Simplicity Magazine #4 Julho/Agosto 2017 - Page 45

M.O.S.: Daquilo que sabe hoje da história do Gandhi, qual a relação da filosofia de vida dele com a simplicidade? E o que tinha mais valor para ele?

J.S.: A relação dele com a simpli-cidade era total. O mais impor-tante para ele era a verdade, a não-violência, o respeito por todas as formas de vida e um amor incondicional pela humanidade.

M.O.S.: Qual o melhor elogio a esse monólogo que já ouviu da sua plateia.

J.S.: Eu fiz o espetáculo na Peninteciária Feminina em São Paulo e, no dia seguinte, a diretora do presídio me ligou e disse que uma presa tinha contado para ela durante o café da manhã que, depois que viu a peça e foi recolhida para a sua cela, sentiu pela primeira vez na vida no ombro uma mão amiga. Isso me comoveu demais.

M.O.S.: Que recado deixa aos nossos leitores que querem ter uma vida simples e feliz?

J.S.: Um guru que admiro muito e do qual sou seguidor é Sri Prem Baba. Ele partilhou os quatro pilares que julga serem o ideal para uma vida boa: silêncio interior através da meditação; consciência do propósito de vida; auto-res-ponsabilidade; e compaixão.

Siga João Signorelli:

Fotografias gentilmente cedidas pelo entrevistado

Simplicidade é...

aceitar tudo que vem de bom e de ruim para sua vida.

Eu desejo...

ser uma pessoa desperta.

Eu estou feliz quando...

entendo e pratico meu propósito de vida.

Viver...

na verdade, no amor, no respeito.