Master of Simplicity Magazine #4 Julho/Agosto 2017 - Page 29

Cuidar de mim é amar-me!

É incrível a facilidade com que nos passamos para segundo plano quando tentamos conjugar a vida pessoal com a profissional, familiar, social, etc. E, mesmo involuntariamente, cometemos a gafe de esquecermos de nós mesmos.

É sabido que, nesta matéria, não existe nada melhor do que poder dar amor quando o sentimos. Basta imaginar o seu envolvimento quando você está apaixonado e transbordando sentimentos. Agora compare esse instante com aquele momento que carece de amor...

Nada é impossível, já diziam os antigos. O autocuidado é bem simples, sobretudo quando abrimos espaço para alguns detalhes…

Faça uma pausa. É imprescindível. A cabeça necessita de parar de vez em quando para retomar pensamentos que foram esmagados pela correria do dia a dia. Neste contexto, parar significa viver. Silêncio significa ouvir a tudo atentamente. Dizer não é um sinónimo de sim àquilo que queremos.

Acrescente agradecer. Ser grato é o primeiro passo para deixar entrar a paz nas nossas casas. Não existe paz sem gratidão, porque o rancor e o ódio que permitimos ficar em nós, irão acumular.

Não é possível estar bem sem sentir paz interior. Muitas vezes precisamos ignorar a razão para escolher ter paz. As decisões que impomos nem sempre são as melhores, e por isso algumas coisas não acontecem como queremos, nem as conseguimos aceitar. Mas a nossa vida dá voltas e voltas.

Acredite. Abrace-se. Ame-se.

pela diretora,

Fátima Teixeira