Master of Simplicity Magazine #2 Março/Abril 2017 - Page 30

Em abril de 2017 faz um ano que estou nessa jornada minimalista. Olhando pra trás com gentileza, percebo que TUDO mudou. Clichê pra quem ouve, porém, gostoso de sentir para quem de fato o vivenciou .

Ganhei muita consciência sobre muita coisa, e sei, que o minimalismo foi o gatilho pra cada mudança significativa que me aconteceu, ser minimalista fez do meu últi-mo ano ser “o ano mais incrível que me re-cordo de ter tido nos últimos anos “. E isso se deu por que o minimalismo me fez mer-gulhar em mim mesma a todo momento.

Eu era alguém que de tempos em tempos me perdia com tantas influências que recebia e informações que consumia.

Um ano atrás eu achava que me conhecia, e então descobri que não me conhecia nem metade do que eu achava que conhecia, desde então passei a buscar diariamente por meu auto-conhecimento.

É interessante dizer que eu possuía uns hábitos minimalistas sem saber que aquilo era fagulhas de um estilo de vida essencialista , ter descoberto que aquilo era um estilo de vida e que muitas pessoas compartilhavam aprendizados sobre isso foi demais! Descobri blogs maravilhosos, e foi fascinante ver como eu poderia aprender e me inspirar com a vida minimalista de outras pessoas.

Nesse “ tudo ” que eu disse ter mudado nessa jornada minimalista tem aquelas mudanças que eu considero significativas demais e não posso deixar de compartilhar, como por exemplo: a decisão de não mais conviver com pessoas que não me fazem bem,a forma como passei a gastar conscientemente meu dinheiro, a maneira como valorizo todas as coisas que possuo, a forma como passei a ficar menos tempo nas redes sociais ,o modo como venci a procrastinação que há anos me vencia e me dava aquela sensação de fracasso, e em especial, a forma como comecei a cuidar dos meus relacionamentos importantes.

Aprendi a ter atenção plena nos meus momentos, passei a viver meus dias com calma e propósito, ,e não mais me perco de mim mesma !! E a lista não para por aqui ! (Risos)

Hoje de fato sei o que é sentir gratidão e alegria pela vida que tenho. Sei enxergar as situações com clareza e sabedoria nos dias ruins. Sei experimentar meus momen-tos desagradáveis sem medo ,e sei tam-bém ser mais corajosa para seguir a vida de acordo com meus valores . E pra fina-lizar , digo que hoje sou mais humana, mais leve, e consciente de que essa jornada como minimalista não tem fim, pois ela re-mete as escolhas que eu faço todos os dias.

Tenho considerado fascinante esses aprendizados na minha jornada minimalista,e presumo que será melhor a cada ano.

O que mudou depois de um ano sendo minimalista

pela Blogger

Leide Teófilo

MINIMALISMO