Master of Simplicity Magazine #2 Março 2017 - Page 20

MINIMALISMO

Estes são só alguns exemplos que retratam o dia-a-dia de alguém que vive uma vida mais simples, com menos coisas, mas com mais experiências. Quem opta por este estilo de vida preocupa-se sim em ter menos e ser mais (feliz).

Uma vida em que o caminho escolhido é em frente!

E para seguir esse caminho não se tem que ter uma casa daquelas que aparece nas revistas, super clean, sem praticamente nada. A meu ver uma casa, ou uma vida minimalista é aquela aonde se tem o necessário, com objetos ou coisas de que realmente se gosta, e que nos transmitam alegria.

Uma casa e uma vida organizada, mas acima de tudo uma casa e uma vida feliz.

O importante mesmo é apercebermos-nos de que tomámos um rumo que tem como destino ser feliz com as nossas escolhas.

Se ter menos coisas nos permite ter mais tempo para experienciar, viver mais e melhor. Porque não continuar a seguir esse caminho????!!? Se a certeza é, que a nossa direção é em frente!!

Ser minimalista é ser livre. É saber o que realmente importa. É ser mais com menos!

With love,

Ser mais tendo menos!

Essas palavras para além de se entranharem nos nossos ouvidos também se entranham na nossa mente. Levam-nos a fazer uma reflexão sobre a nossa vida, o que nos rodeia e principalmente sobre nós próprios. Vai tudo para a balança.

De repente ficamos com uma vontade enorme de seguir um rumo diferente. Inicialmente começamos por caminhar sem saber muito bem para que direção. Caminhamos a pequenos passos e temos vontade se seguir em frente. Nasce em nós uma vontade de mudança.

Começamos por destralhar a nossa casa, mas logo nos apercebemos que isso foi só o começo. Segue-se o nosso local de trabalho, as nossas rotinas, as nossas relações, os nos-sos compromissos e tudo o que nos rodeia.

Surge a necessidade de evitar a desordem e o acumular de coisas. Passamos a ser mais seletivos em todos os campos da nossa vida. E assim da forma mais natural, estamos a trabalhar o desapego. Damos conta que vamos perdendo algumas coisas e ganhando outras tantas.

As experiências, o essencial, o momento presente, ganham um lugar principal na nossa vida. Apercebemos-nos que isto sim, é o que verdadeiramente precisamos.

Todos os bens materiais e as supostas" coisas" a que dávamos valor passam dire-tamente para segundo plano. Concluímos que só serviam para nos levar a um consumismo desenfreado. Impedindo-nos de seguir o melhor caminho.

Adquirir sim, mas apenas com bom senso. Primeiro pensamos se realmente precisamos e só depois passamos ou não à ação.

É incrível sentir essa mudança na nossa vida, mas principalmente em nós mesmos.

Na página ao lado estão alguns exemplos que retratam o dia-a-dia de alguém que vive uma vida mais simples, com menos coisas, mas com mais experiências. Quem opta por este estilo de vida preocupa-se sim em ter menos e ser mais (feliz). Uma vida em que o caminho escolhido é em frente! E para seguir esse caminho não se tem que ter uma casa daquelas que aparece nas revistas, super clean, sem praticamente nada. A meu ver uma casa, ou uma vida minimalista é aquela aonde se tem o necessário, com objetos ou coisas de que realmente se gosta, e que nos transmitam alegria.

Uma casa e uma vida organizada, mas acima de tudo uma casa e uma vida feliz.

O importante mesmo é apercebermos-nos de que tomámos um rumo que tem co-mo destino ser feliz com as nossas escolhas.

Se ter menos coisas nos permite ter mais tempo para experienciar, viver mais e melhor. Porque não continuar a seguir esse caminho????!!? Se a certeza é, que a nossa direção é em frente!!

Ser minimalista é ser livre. É saber o que realmente importa. É ser mais com menos!

With love,

pela blogger

Catarina Agostinho

Cada vez mais ouvimos e lemos que "menos é mais".