KAIROS Edição Especial - Dia Aberto 2015 - Page 18

4º ano de Lisboa

1 + 1 = 1, 2 ou 3? - Da ausência à Criação

Ana Isabel Jacinto, Andreia Cavaca, Carlos Calixto, Carolina Justino, Catia Alves, Diana Vicente, Dina Somsen, Margarida Godinho, Miguel Nery

Que diferentes cenários podem ser criados a partir de uma soma aparentemente expectável? Pontos, linhas, planos...qual o percurso do quadrado ao cubo?

Cena 0: X e Y.

Duas linhas. X e Y. A Abcissa e a Ordenada.

São linhas que existem no mesmo plano mas provindas de origens distintas, com direções diferentes.

A abcissa e a ordenada representam variáveis, duas subjetividades que se encontram. Entrelaçam-se. Dançam, encontram-se e desencontram-se mas voltam a cruzar-se. E formam uma intersecção, um ponto.

No espaço criado pelo X e pelo Y, as suas partes cruzam-se e, cruzadas, envoltas em afeto, formam uma rede de segurança onde o ponto pode existir e expandir. São a sua matriz.

Cena 1: Do Ponto à Linha

Esta é a história do ponto. Um ponto, por si só, não ocupa espaço, é uma abstração. A sua existência depende da relação espacial (e especial) com outros pontos e linhas, referências.

Partes das linhas que se cruzam, no espaço, criando novos pontos. Entre pontos vão se criando pontes, ligações, cuja função dá origem à linha. A continuidade do ponto, o movimento, o desenvolvimento. O caminho expande-se.

.

18