Jornal Sucesso News Jornal Sucesso News - Edição - 512 ONLINE - Page 2

Segunda-Feira 29/04/2019 www.jornalsucessonews.com.br Prosas & Versos IMAGEM DA SEMANA Informação ao seu alcance TATU-BOLA GANHA EQUIPAMENTO PARA PODER ANDAR Publicação: FVB Comunicações Ltda-ME CNPJ: 12.023.876/0001-32 Periodicidade Semanal Rua Profª Elvira L. S. Nemer, 170 Jd. São Pedro l Barueri l SP CEP: 06402 190 Circulação: em todo Brasil. Edição Trissemanal Segundas, quartas e Sextas Diretor Financeiro: Fábio Vidic Belisário Depto. Jurídico: Dr. Mário Belisário OAB-258793 Jornalista Responsável: Fábio Vidic Belisário MTB: 44.400/SP Web Design: Jhonatan Barros Redação + De 15 mil Seguidores Era para ser apenas por uns dias, mas Bolinha precisava de mais atenção. Doente e paraplégico, o tatu de cinco meses chegou ao Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema) apenas para se recuperar, mas acabou conquistando os veterinários e ganhou até uma “cadeira de rodas” para conquistar mais independência. Bolinha quase morreu de desnutrição e estava com sérios problemas crônicos. Para entender como o animal chegou a esse ponto é necessário voltar a dezembro de 2018. O animal na verdade estava anêmico, desnutrido, com várias doenças e com sinais de maus-tratos. O veterinário que o atendeu constatou que a paraplegia foi consequência de desnutrição e doenças. Bolinha ainda está sob cuidados veterinários, toma remédios e faz tratamento intensivo. Luis Felipe revela que ainda é incerto dizer que o tatu pode voltar a andar normalmente um dia. Fonte: G1 Contatos: 4198 1754 Facebook: /jornalsucessonews E-mail: falecomsucesso@jornalsucessonews.com.br Twitter: @JSucessoNews www.jornalsucessonews.com.br Atenção ! As opiniões emitidas por nossos colunistas são de inteira responsabilidade dos mesmos. PREVISÃO DO TEMPO Terça-Feira MÁX MIN 26º 19º Quarta-Feira MÁX MIN 28º 19º Quinta-Feira MÁX MIN 24º 20º Sexta-Feira MÁX MIN 27º 22º Fábio Vidic Belisário Twitter: @jornalistaFABIO jornalsucessonews@gmail.com NOTA SOCIAL O poeta chega na estação. O poeta desembarca. O poeta toma um auto. O poeta vai para o hotel. E enquanto ele faz isso como qualquer homem da terra, uma ovação o persegue feito vaia. Bandeirolas abrem alas. Bandas de música. Foguetes. Discursos. Povo de chapéu de palha. Máquinas fotográficas assestadas. Automóveis imóveis. Bravos... O poeta está melancólico. Numa árvore do passeio público (melhoramento da atual administração) árvore gorda, prisioneira de anúncios coloridos, árvore banal, árvore que ninguém vê canta uma cigarra. Canta uma cigarra que ninguém ouve um hino que ninguém aplaude. Canta, no sol danado. O poeta entra no elevador o poeta sobe o poeta fecha-se no quarto. O poeta está melancólico. Carlos Drummond de Andrade