Inominável Nº 3 - Page 41

Pedaços de mim mesma pelo mundo,

Colinas, rios, mil coisas como eu

Dispersas pela terra e pelo céu

E prontas a usar cada segundo...

Este conhecimento é tão profundo

E tão concretamente em mim nasceu,

Que em mim, ganhou raiz, depois cresceu

E tornou-se o meu EU, lá bem no fundo...

Este supremo dom mo lega a Vida

E, faça o que fizer, nunca estou só

Pois cada peça cumpre o seu papel;

Por mais que nalgum dia ande perdida,

Resolvo o puzzle, desenredo o nó,

Retomo o meu lugar no carrossel...

No corpo inacessível de um poema

Mora o ritmo, sereno ou agitado,

Que fala da virtude, ou do pecado,

E faz com que escrevê-lo valha a pena...

Essa alma musical que assim me acena

A seduzir-me o corpo já cansado

Virá trazer-me o verbo inesperado

Que me preenche e torna mais serena...

E vai-se esse vazio que então crescia

E fica-me o fruir do que se faz

Nas noites renovadas como auroras

Em que me torno amante da Poesia

E concebo o poema que me traz

Essa perfeita ocupação das horas...

PUZZLE

A PERFEITA OCUPAÇÃO DAS HORAS

41

Nº 3 - Abril, 2016