Inominável Nº 3 - Page 23

O projecto PARQUE DA TERRA NOVA (P.T.N.) nasceu, em 2002, do grande amor de duas primas, a Paula Costa e a Alexandra Oliveira, pela natureza e pelos animais, na Quinta da Terra Nova (em Riba de Ave, Concelho de Vila Nova de Famalicão) – antiga residência dos seus Avós maternos, onde ambas foram criadas e cresceram juntas, como irmãs, desde sempre rodeadas por um considerável número de cães – e desenvolveu-se graças à combinação dos esforços, dedicação, e perseverança de um pequeno grupo de pessoas que partilhavam, e partilham, do mesmo sentimento.

Foi, no entanto, a partir de 2004 que a estrutura original, bem mais simples, foi evoluindo no sentido de adquirir os contornos e a dimensão de um centro de acolhimento, cuja missão inicial era, além do seu resgate de situações de risco, o acolhimento e a protecção de cães abandonados, negligenciados, e vítimas de maus tratos, assim como, e sempre que tal fosse aconselhável e possível, o seu encaminhamento para novos lares seguros e famílias responsáveis.

Curiosamente, foi também em 2004 que o PARQUE DA TERRA NOVA (P.T.N.) acolheu, em regime de residência permanente, o primeiro cão com necessidades especiais – um Doberman adulto, com os membros atrofiados e totalmente deformados, por ter crescido confinado a uma jaula de dimensões exíguas, da qual só saía para desempenhar as funções de reprodutor a que tinha sido destinado por um “criadeiro”, que, no entanto, acabara por se descartar dele, ao verificar que o cão perdera, por completo, não apenas a mobilidade, mas a capacidade de se manter de pé.

Foi, aliás, o trabalho de reabilitação deste cão, a par da prestação de cuidados a outros cães doentes ou convalescentes – sempre com o devido acompanha-mento e sob rigorosa orientação Veterinária - que deram origem, no PARQUE DA TERRA NOVA, a uma nova vertente que, ao longo dos anos, acabaria por se tornar na sua vocação principal: O acolhimento e a prestação de cuidados, na maioria dos casos em regime de residência permanente, a cães com necessidades especiais.

Hoje, o PARQUE DA TERRA NOVA acolhe 140 cães, dos quais mais de 80 séniores, 9 cães totalmente cegos (um deles também surdo), dois paraplégicos, e vários outros com patologias crónicas e/ou deficiências, congénitas ou adquiridas, de foros diversos. Aqui, procuramos demonstrar, através de exemplos práticos, que as suas limitações não são, de modo algum, impeditivas de uma vida com qualidade, sempre que lhes sejam prestados os cuidados e as condições de que necessitam.

Parque da Terra Nova

P.T.N.

23

Nº 3 - Abril, 2016