Inominável Nº 2 - Page 3

Índice

Os Inomináveis

Musicalizando

2D3D

Play it, Sam!

Corações Inomináveis

Colunista Acidental

Repórter Ninja

Divagações

Passatempo

Correio Sentimental

Por Terras do Rei Artur

There, there

Palavras Cruzadas

Anexo

Tendências de A a Z

Viagens

Estar no Ponto

Um dia conto uma história

O Espaço Azul entre as Nuvens

Maria Alfacinha e Magda Pais

Direcção Editorial

Ana CB

Revisão e apoio moral

Sofia Silva

Tendências de A a Z

Inês Rocha

Por terras do Rei Artur

Marta A.

Um dia conto uma história

Rei Bacalhau

2D3D

Maria das Palavras e MJ

Consultório (pouco) Sentimental

Maggie e Martim

There, there

Maria Sebastião e Ana CB

Viagens

Dona Pavlova e Rita Fonseca

Estar no Ponto

Vanessa e A Miúda

Divagações

José da Xã

Play it Sam!

Magda Pais e Cláudia Oliveira

Anexo

Paulo Freixinho

Palavras Cruzadas

Neurótika Webb

Repórter Ninja

Marta Segão

Musicalizando

Jonathan

O Espaço Azul entre as Nuvens

Editorial

Enquanto me preparava para escrever este texto, parecia que tudo o que lia, ou ouvia, as pessoas com quem me cruzava, as palavras que escolhia, me falavam de Amor. É natural. A mente humana tem a capacidade de nos alertar, mesmo que inconscientemente, para o que procuramos, ou precisamos ver, quando estamos concentrados numa determinada questão. Deixo aqui apenas dois exemplos:

Na Humans of New York – página do FB que recomendo – no meio de tantos e tantos outros testemunhos encontrei esta reflexão: “Todas as grandes histórias de amor parecem ser acerca da atracção física. Romeu e Julieta não sabiam se gostavam dos mesmos livros ou filmes. (o que sentiam) Era apenas físico.” Mas aquilo de que o autor destas palavras, viúvo recente da mulher com quem esteve casado 62 anos, sente mais falta é dos pequenos gestos que partilhavam.

Ele tentou matá-la, porque ainda a ama, era o título escolhido por uma outra publicação – que não recomendo de todo, embora seja difícil ignorá-la – e sobre a qual ouvi dizer (espantada, confesso, porque ainda não perdi a capacidade de me espantar): “Enfim… o amor que sentia enlouqueceu-o!” E o suspiro com que rematou a frase parecia lamentar o facto de que ninguém estaria disposto a matá-la.

Ah, o Amor…

Que palavra – e conceito! – tão estranho e incompreendido.

Somos parcos no uso da palavra, reservando-a para momentos solenes, evitando-a porque nos é desconfortável proferi-la em voz alta, porque somos – ou pensamos ser – julgados pela excessiva demonstração do que sentimos, porque tememos a cobrança do que afirmamos. Limitamo-nos. Retraímo-nos. E distraímo-nos tanto que nem nos apercebemos de que o Amor é muito mais que o amor romântico que os poetas cantam.

“All You Need is Love” foi o tema escolhido para o mês de Fevereiro. Lançámos o desafio aos Inomináveis e aqui está o resultado. E bem a propósito temos uma nova coluna, a Corações Inomináveis, que pretende divulgar quem por Amor – neste caso aos animais – tenta mudar o Mundo em que vivemos.

Esperamos que gostem.

Os Inomináveis

4

6

8

12

16

18

24

26

29

30

32

36

39

40

42

44

54

56

60

Maria Alfacinha

Nº 2 - Fevereiro, 2016