Inominável Nº 2 - Page 25

Campanhas civilizadas para as eleições presidenciais parecem ser coisa do passado. A campanha que decorreu foi prolífera em acusações e insultos. A Comissão Nacional de Eleições, aproveitando a visita dos Cupidos ao nosso país, decidiu pedir a permanência de um destacamento para os candidatos.

Soube-se que houve um Cupido por debate, excepto no caso do candidato Cândido Ferreira, que odeia toda a gente, para ele houve um destacamento de três. Em caso de resistência, dois seguravam-lhe nos braços, enquanto o terceiro faria o disparo da flecha.

No próximo dia 14 de Fevereiro vamos todos respirar só com um pulmão. Os pulmões entraram em greve parcial para marcar a sua discordância pela escolha do coração como órgão oficial do Dia dos Namorados.

“Se não fossem os pulmões, como é que se suspirava ou se ficava com falta de ar quando se vê alguém?”, pergunta um

representante da associação destes órgãos. Indignados com a escolha, referem ainda: “O coração é um órgão feio e musculado e nós, além de termos uma consistência fofinha, somos cor-de-rosa!”

Os rins estão a ponderar juntar-se ao movimento e alegam que também são “fofinhos e ficam uma delícia salteados em alho e azeite.”

25

Mulher de Penacova

queixa-se de negligência

Cupidos destacados para as presidenciais

Pulmões em greve parcial

Adosinda da Purificação, natural de Penacova, apresentou no posto da GNR local uma queixa por negligência por parte das brigadas celestiais.

Contactada pela nossa redacção, Adosinda da Purificação informou-nos da natureza da sua queixa: “No ano passado escrevi aos Cupidos a pedir que atirassem uma flecha ao Joaquim, que é pastor de cabras e por quem eu tenho afecto. Erraram a pontaria e acertaram no Manel Zarolho, que além de zarolho é coxo e agora não me larga a porta! Mas isto deve ser qualquer coisa contra min, porque há uns anos pedi para a minha filha Rosinha se apaixonar pelo filho do senhor João e em vez disso ela apaixonou-se pela Manuela do talho!”

Nº 2 - Fevereiro, 2016